Notícias

Notícias

Bolsas da Ásia fecham sem sinal único, com Xangai em alta e Tóquio em baixa

Por
Agência Brasil

Os mercados acionários da Ásia fecharam sem sinal único, mas na maioria em baixa, nesta sexta-feira, 10. A China registrou ganhos, em dia publicação de dados de inflação no país, enquanto Tóquio teve queda.

Na China, a Bolsa de Xangai fechou em alta de 1,42%, em 3.284,83 pontos, e a de Shenzhen, de menor abrangência, subiu 1,94%, em 2.085,31 pontos. O sentimento era melhor nos mercados chineses, com sinais de que Pequim pode atuar para estabilizar o crescimento. Ações de montadoras e ligadas ao consumo subiram, apoiadas pela perspectiva de demanda mais forte. BYD subiu 8,2% e SAIC Motor, 2,6%, enquanto Three Sqhirrels teve alta de 0,5%.

Na agenda de indicadores, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da China subiu 2,1% em maio, na comparação anual, abaixo da previsão de alta de 2,2% dos analistas ouvidos pelo Wall Street Journal. O índice de preços ao produtor (PPI) avançou 6,4% em maio ante igual mês do ano passado, acima da expectativa de alta de 6,3%. A Pantheon viu a inflação ao consumidor como um dado “encorajador”, sem sinais de que a reabertura tenha causado um pico inflacionário.

Em Tóquio, o índice Nikkei terminou em baixa de 1,49%, em 27.824,29 pontos. Ações de empresas relacionadas a microchips estiveram sob pressão no mercado japonês, ante preocupações com custos mais altos e crescimento menor. Lasertec caiu 4,8% e Advantest teve baixa de 4,2%. Investidores ainda aguardavam o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos Estados Unidos mais tarde e suas implicações para a política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano).

Na Coreia do Sul, o índice Kospi registrou queda de 1,13%, a 2.595,87 pontos, na quarta queda consecutiva e com baixa de 2,8% na semana. Ações do setor de eletrônicos e de companhias aéreas puxaram as baixas no dia, com o sentimento pressionado após o país registrar em abril o primeiro déficit em conta corrente em dois anos. Samsung Electronics caiu 2,2% e a companhia aérea Jeju Air teve queda de 5,7%, com voos para a China ameaçados após Xangai retornar a lockdowns para testes massivos em alguns distritos da cidade.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng teve baixa de 0,29%, para 21.806,18 pontos. Em Taiwan, o Taiex caiu 0,97%, a 16.460,12 pontos.

Oceania

Na Oceania, o índice S&P/ASX 200 fechou em queda de 1,25%, em 6.932,00 pontos. A Bolsa de Sydney teve a pior semana desde abril de 2020, em baixa de 4,2%, em meio a preocupações sobre a inflação pelo mundo. Todos os 11 setores da praça local caíram, entre eles o setor financeiro e o de energia.

*Com informações da Dow Jones Newswires