Notícias

Notícias

Bolsas de NY fecham em alta, com recuperação após fortes quedas recentes

Por
Agência Brasil

As bolsas de Nova York fecharam em baixa nesta segunda-feira, 2, recuperando partes das perdas da última sessão, que encerrou uma mês de abril marcado por fortes quedas nos índices. As perspectivas para o aperto monetário do Federal Reserve (Fed) chamam a atenção dos investidores, com destaque para a decisão de política monetária da autoridade na próxima quarta-feira. A inflação segue alvo de preocupação na economia global, e a possibilidade de desaceleração do crescimento, impulsionada pela guerra na Ucrânia e as medidas da China para tentar conter a covid-19, também é observada.

No fechamento, o Dow Jones subiu 0,26%, a 33.061,50 pontos, o S&P 500 teve alta de 0,57%, a 4.155,38 pontos, e o Nasdaq avançou 1,63%, a 12.536,02 pontos.

Na visão do UBS, com a reunião do Fed nesta semana, aumentaram as preocupações de que o banco central possa optar por um movimento mais agressivo de aumento de 75 pontos-base nos juros, em vez da alta amplamente esperada de 50 pontos-base.

Os mercados futuros de fundos do Fed agora estão precificando mais de 280 pontos-base de aperto este ano, levantando preocupações sobre a capacidade da economia de resistir a esse ritmo de aperto sem entrar em recessão, aponta. As preocupações com o crescimento foram agravadas pelas lutas contínuas da China para conter a covid-19 bem como o impacto das restrições no fluxo de petróleo russo e gás na economia da Europa, indica o banco suíço.

Olhando para o futuro, a orientação para o segundo trimestre está se sustentando, e os lucros corporativos estão a caminho de crescer cerca de 10% em um crescimento de vendas de quase 12%, “embora estejamos atentos aos potenciais efeitos das pressões de custo nas margens e dos desafios da cadeia de suprimentos e preocupações geopolíticas sobre as receitas”, afirma o UBS. Sua estimativa de consenso para S&P 500 no segundo trimestre permanece inalterada desde o início da temporada de balanços, afirma.

Entre as grandes altas desta sessão, algumas big techs, que haviam recuado fortemente na semana passada, foram destaque. Dentre elas, Meta (+5,32%), Netflix (+4,78%) e Intel (+3,14%).