Notícias

Notícias

Bolsas de NY fecham sem direção única antes de Fed

Por
Agência Brasil

As bolsas de Nova York fecharam sem direção única nesta terça-feira, véspera da decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed). Os recuos do Dow Jones e do S&P 500 foram menores que nos últimos pregões, enquanto o Nasdaq recuperou um pouco das fortes perdas recentes. A expectativa majoritária do mercado se consolidou em alta de 75 pontos-base do juro nos EUA amanhã, medida que não é tomada pelo Fed desde meados da década de 1990.

O Dow Jones fechou em baixa de 0,50%, aos 30.364,83 pontos, o S&P 500 recuou 0,38%, aos 3.735,48 pontos. Mais descontado, o Nasdaq avançou 0,18%, aos 10.828,35 pontos.

Após Barclays e Jefferies ajustarem sua previsões para um aumento de 0,75 ponto porcentual dos Fed funds, muitas instituições também revisaram suas expectativas para refletir o aumento acima do esperado da inflação ao consumidor americano em maio e reportagens do The Wall Street Journal e CNBC que indicaram que os dirigentes do Fed cogitam elevar os juros em ritmo mais agressivo amanhã.

Na visão da Pantheon Macroeconomics, a “provável” alta de 75 pontos-base é “desnecessária” e eleva o risco de recessão breve no futuro próximo. Para a casa, as pressões inflacionárias nos EUA começaram a mostrar sinais de arrefecimento e um aumento tão agressivo dos juros seria arriscado demais.

“A correção da inflação não será mais eficaz se o Fed aumentar em 75 pontos-base agora ou no próximo mês, em vez de 25 pontos-base, e o dano causado à riqueza do setor privado pode inadvertidamente desencadear uma recessão que de outra forma seria evitada”, alerta.

O setor bancário esteve entre os mais penalizados em Wall Street diante da perspectiva de aperto monetário acelerado. O Wells Fargo, por exemplo, terminou o pregão em baixa de 4%, enquanto o Bank of America recuou 1,75% e o JPMorgan baixou 1,66%. Ainda no setor financeiro, a Coinbase cedeu 0,83%, após a empresa anunciar que vai reduzir a sua força de trabalho em 18%, diante do sell-off de criptomoedas nos últimos dias. Hoje, o contrato mais líquido do bitcoin operou próximo da marca de US$ 22 mil.

Segundo a Oanda, o ativo digital pode recuar abaixo da marca de US$ 20 mil caso o comunicado do Fed e a coletiva de imprensa do presidente Jerome Powell de amanhã apresentem postura muito hawkish. “Se o bitcoin cair abaixo do nível de US$ 20 mil, outro suporte pode não surgir até o nível de US$ 17 mil”, alerta a consultoria.