Notícias

Notícias

Bolsas europeias fecham em alta, em recuperação após 6 pregões seguidos de queda

Por
Agência Brasil

As bolsas da Europa avançaram nesta quarta-feira, 15, e encerraram uma sequência de baixas que se estendeu por seis pregões consecutivos. O movimento desta quarta reflete correção nas ações, com investidores buscando oportunidades de compras após as fortes perdas recentes. Neste contexto, indicadores decepcionantes na zona do euro foram deixados em segundo plano. Horas antes da decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) que deve marcar alta de 75 pontos-base do juro nos EUA, o mercado ainda acompanhou o Banco Central Europeu (BCE) anunciar a criação de um mecanismo para conter a fragmentação no bloco monetário.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 1,42%, aos 413,10 pontos. Na bolsa de Londres, o FTSE 100 subiu 1,20%, aos 7.273,41 pontos, enquanto o DAX avançou 1,36% em Frankfurt, aos 13.485,29 pontos, apoiado pelo salto de 9,11% da Delivery Hero, empresa do ramo de entregas de comida por serviço online.

Em Paris, o índice CAC 40 teve alta de 1,35%, aos 6.030,13 pontos, e o milanês FTSE MIB terminou o dia com ganho de 2,87%, aos 22.473,56 pontos.

A bolsa de Milão estava mais descontada por conta de temores acerca da fragmentação recente dos juros da dívida na zona do euro, identificada principalmente no spread entre os retornos do BTP italiano e o Bund alemão. Nesta quarta, após reunião extraordinária, o Conselho do BCE orientou a área técnica da entidade a acelerar a criação de um novo instrumento para mitigar os riscos de fragmentação no bloco. Após o anúncio, os juros de bônus europeus aceleraram queda.

Analista da CMC Markets, Michael Hewson credita “grande parte” da alta das bolsas nesta quarta ao anúncio de que o BCE agirá para controlar o risco de fragmentação da dívida na União Europeia. Para o ING, a ação configura um “senso de urgência muito necessário” por parte do BCE.

“O passo muito incomum de se reunir fora do seu calendário regular de reuniões é um sinal encorajador de que o BCE finalmente leva a situação a sério. Infelizmente, o anúncio foi leve em detalhes”, avalia o banco holandês.

Ainda na seara monetária, o avanço das praças europeias nesta quarta ocorreu apesar da expectativa de forte aumento dos juros nos EUA. O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do Fed encerra sua reunião nesta quarta e deve optar por alta de 75 pontos-base do juro, após sinais de que a escalada inflacionária no país se intensificou nos últimos meses.

Investidores também monitoraram dados da produção industrial da zona do euro, que teve crescimento de 0,4% em abril ante março, sendo que analistas previam alta maior, de 0,5%. Já a balança comercial do bloco registrou déficit recorde em abril, de 32,4 bilhões de euros (US$ 33,75 bilhões), com aumento das importações devido ao maior custo com energia.

Entre outros mercados europeus, a bolsa de Madri subiu 1,56%, aos 8.192,50 pontos, e o índice PSI 20, de Lisboa, avançou 0,42%, aos 6.012,15 pontos.