Ações

Entenda a diferença entre ações small, mid e large caps

7 Minutos de leitura

Dentre os produtos disponíveis na bolsa, as ações são vistas como um dos melhores investimentos no mercado. São as ações, também, os ativos mais conhecidos quando tratamos de renda variável – especialmente para um prazo mais elástico.  

Mas, em geral, quando pensamos em ações, imaginamos primeiro as de grandes empresas como Vale e Petrobras. Quando fazemos isso, deixamos escapar um leque de opções e oportunidades. As empresas de pequeno e médio porte, cujas ações chamamos de small e mid caps, podem surpreender em termos de lucratividade.   

As ações small caps foram as que mais cresceram em valorização no ano de 2019. Em comparações com ações de grandes empresas – large caps -, estas têm grandes chances de serem igualmente (ou até mais) interessantes no longo prazo.  

Esse tipo de ação – as small caps – são papéis mais indicados para perfis de investidores agressivos com disposição para o longo prazo.   

Mas para melhor compreendermos cada tipo de ação, precisaremos falar do valor de mercado das companhias. É por meio deste valor de mercado que definimos o tipo de ação que uma empresa tem; small, mid ou large.  

O que é e como calcular o valor de mercado?  

Antes de definirmos as diferenças entre ações smallmid e large caps, precisamos explicar o que é valor de mercado e como calculá-lo. A capitalização de uma empresa – valor de mercado – é uma espécie de cálculo estimado do valor da importância financeira de uma empresa. Isto é, com o valor de mercado conseguimos ter uma noção mais realista do tamanho real de uma companhia.  

Na bolsa de valores há empresas de muitos tamanhos diferentes. Mas isto não significa que as de maior valor sejam as únicas das quais vale a pena investir. Empresas menores na bolsa também podem ser vantajosas, tudo depende da sua estratégia e de uma análise apurada.   

O valor de mercado de uma companhia é calculado multiplicando-se o preço de suas ações pelo número total dos papéis emitidos. Logo, não basta olhar apenas o preço das ações, se são altos ou baixos, para medir o tamanho de uma empresa. Além disso, saiba que o valor de mercado é dinâmico, podendo aumentar ou diminuir ao longo do tempo.   

A B3 mantém a lista do valor de mercado das empresas listadas em seu site, você pode consultar a lista clicando aqui. Assim, pelo valor de mercado, definimos se as ações de uma empresa são ações smallmid ou large caps.  

O que são ações Small caps 

As Small caps são ações de empresas de baixa capitalização. Normalmente, referem-se às organizações que têm um valor de mercado de até US$ 3 bilhões. Mas não há, necessariamente, um valor de corte determinado para definirmos quais ações são small. Atualmente, há 73 empresas na B3 listadas na categoria SMLL, e nenhuma tem um valor de mercado superior a 15 bilhões.  

Outro termo comum para denominá-las é “ações de terceira linha”. Para ser considerada como small cap, além do valor de mercado ser normalmente menor que três bilhões de dólares, geralmente elas possuem as seguintes características:  

  • Empresas relativamente recentes, que não lideram o seu setor, mas que podem ter alguma diversificação setorial;  
  • Empresas com um pouco mais de tempo de mercado e que se concentram em um setor relativamente pequeno. Elas podem, ou não, ser líderes em seus segmentos.  

Por esses pontos, é comum que as small caps tenham um desempenho na bolsa que alterna com muita frequência entre resultados bons e ruins.  

Sabemos que, sejam smallmid ou large caps (veremos sobre as duas últimas adiante e você entenderá melhor a diferença entre elas), todos os papéis negociados na bolsa possuem riscos para o investidor. No entanto, como as small caps são ações de empresas de menor capitalização, o risco delas pode ser maior.  

Apesar disso, podem apresentar boas perspectivas para o investidor, pois existe nelas um grande potencial de valorização.  

Isso ocorre porque, de modo geral, as small caps apresentam negócios inovadores ou estão em setores em processo de consolidação. Essas características fazem com que tenham uma certa probabilidade de alto crescimento.

O Magazine Luiza é um exemplo de small cap que cresceu aceleradamente em menos de um ano. Em um curto tempo esta empresa se tornou uma gigante do setor, tendo uma subida abrupta na cotação das ações.  

Outro ponto positivo é o preço das ações, que é menor que o de empresas maiores. Já à lista de aspectos negativos, além do risco, acrescentamos a baixa liquidez dos papéis. Por isso, investir em small caps é uma opção mais indicada para o longo prazo.  

A B3 disponibiliza o índice Small Cap atualizado em seu site. Assim, você mesmo pode acompanhar o crescimento das small caps no mercado nacional e tirar suas próprias conclusões.   

Vale a pena investir em Small Cap 

Criada em 2005, o potencial das SMLL ficou ainda mais evidente nos últimos anos. Assumindo o topo no ranking de retornos de 2019, o índice Small Cap terminou o ano com alta de 58,2%.

Mas nem tudo são flores. As SMLL são extremamente voláteis. Em 2008, por exemplo, sofreu uma queda de 53,2% para no ano seguinte fechar com alta de 137,5%. Ou seja, este é um mercado extremamente volátil.   

Os papéis das SMLL são indicados para perfis mais agressivos, com pretensões de longo prazo. O alto nível das oscilações e baixa solidez das empresas podem frustrar investidores iniciantes.

Além do mais, com empresas menores temos mais dificuldade de obter informações sobre seus balanços internos. No entanto, algumas destas empresas nacionais são bem conhecidas, como a Magazine Luiza (MGLU3), a CVC (CVCB3) ou a varejista Arezzo (ARZZ3).  

Exemplos de empresas Small Caps 

  • Laboratórios Fleury (FLRY3)

O que são Mid caps 

A diferença entre ações SmallMid e Large caps, como você já sabe, se refere ao valor de mercado da empresa e suas ações. Com este valor, podemos levantar algumas suposições sobre a taxa de crescimento e a volatilidade destas ações. De forma simples, as ações Mid caps ficam entre as duas outras nestes dois aspectos.  

Ou seja, com uma taxa de crescimento maior e volatilidade menor que as Small caps, mas que crescem menos e oscilam mais que as Large caps.  

Normalmente empresas com ações Mid caps têm o valor de capitalização acima de US$ 3 bilhões, mas não são consideradas grandes organizações, como é o que ocorre com as Large caps.  

São também conhecidas como ações de segunda linha. Assim como as Small caps, as Mid caps podem apresentar boa rentabilidade, a diferença é que a liquidez pode ser um pouco mais alta.  

Empresas Mid Caps nacionais:  

O que são as Large caps 

As large caps são também conhecidas como blue chips. O termo faz referências às fichas azuis no jogo de poker, que são as mais cobiçadas por terem um valor mais alto.  

Portanto, aqui você consegue entender uma questão importante na diferença entre ações SmallMid e Large caps: as últimas são as que chamam mais atenção de muitos investidores. Isso ocorre porque, quando tratamos de blue chips, nos referimos às empresas já consolidadas no mercado.  

Outra denominação para elas é o termo “ações de primeira linha”. O motivo é simples: empresas Large caps são grandes organizações. São líderes em seus mercados de atuação e possuem um crescimento estável.  

Normalmente, essas companhias têm alto retorno sobre o patrimônio líquido e sobre os ativos (ROE e ROA, respectivamente). Além disso, costumam ter pouca ou nenhuma dívida. Todas as blue chips fazem parte do índice Ibovespa. Ademais, seus papéis têm alta liquidez e são os de maior volume financeiro na bolsa.  

Ao contrário das Small e Mid caps, as ações de companhias Large caps tendem a ser menos arriscadas. Exatamente por isso acabam despontado como a opção mais segura dos investidores, sobretudo dos perfis conservadores. Mas vale lembrar que todo investimento em ação tem seus riscos, a diferença está no grau e na estratégia.  

Outro motivo de os investidores cobiçarem as blue chips está no fato de elas costuma ter uma boa distribuição de lucros entre seus acionistas. Isto é, distribuem dividendos. Exemplos incluem empresas como Ambev, Itaú Unibanco, Bradesco, Vale, entre outras.  

Exemplos large caps  

  • Itaú Unibanco (ITUB4

Resumindo  

Para entender bem a diferença entre ações SmallMid e Large caps, note que:  

  • As Small caps (ou ações de terceira linha) normalmente têm um valor de corte aproximado, já que são empresas cujo valor de capitalização é de mais ou menos U$ 3 bilhões;  
  • As Mid caps (ou ações de segunda linha) têm um valor de mercado maior que as Small caps, mas não chegam a ser grandes como as Large caps 
  • As Large caps (conhecidas também por blue chips ou ações de primeira linha) são empresas estáveis, consolidadas no mercado, líderes em seus setores e que, por terem um histórico positivo, são as mais desejadas pela maioria dos investidores.  

É verdade que as blue chips são as mais cobiçadas e possuem uma possibilidade maior de rentabilidade para investidor. Todavia, é importante ter em mente os seus objetivos e estratégias de curto, médio e longo prazo. Então, não deixe também de explorar opções como as Mid caps e as Small caps caso elas se enquadrem no seu perfil e objetivos.   

Gostou do conteúdo? Então compartilhe-o em suas redes sociais para que mais pessoas se informem a respeito do assunto! 

Posts relacionados
AçõesRenda Variável

Vale e Petrobras: conheça duas importantes blue chips brasileiras

8 Minutos de leitura
Quando o assunto são ações da bolsa de valores, mesmo quem não tem afinidade com esse universo lembra de empresas como a…
AçõesNotícias

Commodities e agronegócio: 8 empresas de destaque da bolsa brasileira

8 Minutos de leitura
O Brasil é um dos maiores produtores e exportadores de commodities do planeta. Não é por acaso que a bolsa de valores…
AçõesDividendos

Ações pagadoras de dividendos: como escolher as melhores?

4 Minutos de leitura
Quem tem o objetivo de potencializar a renda passiva pode se beneficiar das ações pagadoras de dividendos. Elas trazem um pagamento periódico…