Notícias

Notícias

Moedas Globais: dólar tem viés negativo ante rivais e emergentes

Por
Agência Brasil

O dólar operou com viés negativo na comparação com as principais moedas do mundo nesta terça-feira, em ajuste após a forte valorização recente. Ao longo da sessão, investidores prepararam terreno para a decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), que deve aumentar juros em 50 pontos-base amanhã.

O índice DXY, que mede a variação da divisa dos Estados Unidos ante seis rivais fortes, fechou em baixa de 0,27%, a 103,465 pontos. Para o analista Joe Manimbo, do Western Union, o dólar pode cair após o anúncio do Fed amanhã, sobretudo se não houver surpresas. “Por outro lado, o dólar pode manter ou estender seus ganhos se o Fed traçar uma perspectiva mais agressiva para a política”, especula.

No fim da tarde em Nova York, o dólar caía a 130,15 ienes, enquanto o euro avançava a US$ 1,0524. A libra, por sua vez, recuava a US$ 1,2488, em meio à expectativa pela decisão do Banco da Inglaterra (BoE), na quinta-feira.

O ING espera uma alta de 0,25 ponto porcentual na taxa bancária do BoE, a 1,00%, por oito votos a um. “Achamos que isso levaria a uma reprecificação um pouco mais dovish na curva e a libra poderia enfraquecer moderadamente após o anúncio”, avalia.

Entre outras moedas, dólar australiano subia a US$ 0,7091. Hoje, o Banco de Reserva da Austrália (RBA, na sigla em inglês) elevou sua taxa de juros em 25 pontos-base, a 0,35%. O TD Securities classificou o ajuste como maior que o esperado por investidores. “Dado que o Banco já delineou fatores globais e domésticos agora como impulsionando a inflação mais alta, o RBA pode precisar ser mais proativo na normalização da política”, ressalta o banco de investimentos.

A moeda norte-americana cedia ainda a 68,535 rublos russos, depois que credores informaram ter recebido o pagamento de dois títulos em dólar da Rússia. Com isso, o país teria conseguido evitar um default soberano, de acordo com a Bloomberg.