Investimentos

Investimentos

Juros compostos: o que são, qual a fórmula e como calcular

Por
Flavio Mattedi

Atribui-se à Albert Einstein a frase em que os juros compostos são a maior força do universo. A frase pode parecer superlativa demais, porém ela tem o impacto necessário para atuar de forma eficaz em seus investimentos, além da construção e solidez de seus objetivos financeiros.

Se, por um lado, os juros compostos atuam como mágica para aumentar exponencialmente seus investimentos, por outro, pode gerar muitos problemas para quem, por exemplo, possui dívidas no cartão de crédito. Vamos aprender neste artigo como utilizar os juros compostos em benefícios dos seus investimentos.

Quando realizamos um investimento, esperamos que ele valorize seguindo uma métrica. Dentro desse cenário, podemos destacar dois tipos de situação que condicionam os investimentos a uma valorização: os juros simples e os juros compostos.

Assim, ao falarmos de juros compostos dentro do cenário de investimentos, é fundamental que se saiba como funcionam para escolher o ativo ideal para investir. Só assim seus rendimentos poderão ser potencializados e seu capital aumentado.

Nos investimentos, é comum encontrar ativos que utilizam os juros compostos como cálculo de rentabilidade. Eles são excelentes alternativas para quem busca multiplicar o patrimônio no longo prazo.

Vem com a gente que é hora de aprender e aplicar esse conhecimento na sua jornada de investidor. Boa leitura!

O que são juros compostos?

De modo geral, podemos afirmar que juros compostos são juros sobre juros. Ou seja, os juros são calculados sobre juros, proporcionando um aumento no rendimento de forma considerável.

Esse termo é inserido nas nossas vidas desde muito novos. Na escola aprendemos o básico sobre ele. Quando adultos, nos deparamos com a complexa jornada de pagar boletos de cartões de crédito, com aquelas compras parceladas que contêm juros e que acabam tirando nosso sono no dia do vencimento da fatura.

No universo dos investimentos, a coisa muda um pouco de figura. Para os investidores, sejam eles iniciantes ou especialistas, os juros são aliados. E quando se trata de juros compostos, então… a situação fica ainda melhor. São os famosos juros que, dentro da cartela de renda fixa no Brasil, possibilitam que os ativos tenham rentabilidade e possam, consequentemente, gerar lucro para os investidores.

Quando se trata de um ativo que funciona à base de juros compostos, é importante ressaltar que sua rentabilidade não é apenas sobre o valor investido inicialmente, mas sim sobre o valor total investido somado aos juros calculados no período aplicado.

Qual a finalidade dos juros compostos?

 O principal objetivo da aplicação dos juros compostos nos ativos é aumentar a rentabilidade do investimento de forma exponencial. Veremos a seguir como funciona esse caso na hora de calcular esses juros.

Mas, de modo geral, os juros compostos possibilitam que o investimento conte com um aumento progressivo, gerando ainda mais lucro para o investidor.

Com esse modelo, o investimento contará sempre com um crescimento no lucro, uma vez que o cálculo considera o valor atualizado do rendimento para assim aplicar os juros.

 Diferença entre juros simples e juros compostos

 Mas você deve estar se perguntando: qual a diferença entre juros simples e compostos? A gente explica pra você!

 Nos juros simples, apenas o capital inicial é levado em consideração na hora do cálculo de rentabilidade, diferentemente do composto (já explicado acima). Com isso, ativos que se utilizam dos juros simples tendem a ter uma rentabilidade menor, ou seja, possibilitam um lucro menos expressivo ao investidor.

Como calcular os juros compostos

Antes de aprendermos como se calculam os juros compostos, é importante entender o que significa a fórmula utilizada para o cálculo.

A fórmula dos juros compostos é:

M = C x (1+i)^t

No qual:

  • M = montante (resultado)
  • C = capital inicial
  • i = taxa de juros aplicada
  • t = tempo (duração do investimento)

Para ficar mais fácil de entender como calcular os juros compostos do seu investimento, trouxemos um exemplo e vamos fazer o passo a passo com você. Vamos nessa?

Suponhamos que você tenha investido R$ 800,00 em uma aplicação com rendimento de 5% ao mês. Você deixou esse valor investido por 12 meses. Assim, o cálculo seria:

M = 800 x (1 + 0,05)^12

M = 800 x 1,8

M = 1.437

Para saber quanto o seu investimento rendeu, basta pegar o valor do montante (M) e subtrair do valor inicial investido (C) :

1.437 – 800

Rendimento: R$ 637

Podemos afirmar que seu investimento rendeu R$ 637, isso sem considerar qualquer outro tipo de investimento adicional.

Investimentos que utilizam os juros compostos

Todos os produtos de investimento em Renda Fixa se utilizam da fórmula de juros sobre juros. Contudo, há uma questão anterior a isso. Se você é disciplinado e poupa por décadas a fio, certamente acumulará uma grande riqueza, pois deixou o poder da parte exponencial da fórmula dos juros compostos agir em sua forma mais extraordinária, fazendo com que a porcentagem de juros sobre juros ficasse maior do que a de juros sobre o capital.

São variados os investimentos cujo retorno financeiro é feito sob a forma de juros sobre juros. Títulos públicos (tesouro Selic ou tesouro direto, por exemplo), CDB, LCI, LCA, ou seja, produtos financeiros de Renda Fixa disponíveis no mercado financeiro que utilizam os juros compostos.

Muitas pessoas criam uma falsa ideia: dizem que não começam a investir cedo porque não dispõem de dinheiro o suficiente. Esse raciocínio está distorcido, já que sempre é oportuno economizar um pouquinho e destinar parte dessas economias para investimentos.

Um exemplo claro disso são as economias realizadas a partir de R$ 100,00. Não importa a quantidade, ou seja, o importante é fazer aplicações de forma disciplinada o quanto antes para que os juros compostos possam trabalhar por você.

Embora a bolsa de valores não pague juros diretamente em ações, por exemplo, também oferece retornos compostos. Na verdade, não é possível prever os rendimentos que você terá ao investir em bolsa de valores. Contudo, é uma ótima possibilidade de fazer seu dinheiro render bastante.

Importante lembrar: tudo aquilo que você tem de resultado de um investimento pode e deve ser reinvestido para gerar um ganho exponencial. Na verdade, a melhor opção é o reinvestimento dos resultados que nos permitem criar os efeitos dos juros compostos.  

A importância dos juros compostos em nossa vida

Vimos que ao longo do tempo os juros compostos têm uma força enorme em nossas aplicações financeiras, além de serem muito relevantes importantes em nossa jornada de investimentos. Eles podem potencializar e acelerar essas aplicações. Para isso, é fundamental organizarmos as finanças pessoais para traçarmos metas que serão conquistadas ao decorrer do tempo.

Com as economias mensais, disciplina e obviamente uma dose de sacrifício terão certamente influência e fará toda a diferença na hora de investir. Lembre-se: os juros compostos ganham força ao longo do tempo.

É justamente nesse momento que você perceberá que o dinheiro está trabalhando sozinho. Reside aí a mágica dos juros compostos: aqueles R$ 30.000,00 logo se transformam em R$ 50.000,00, que então viram R$ 80.000,00. Tudo depende de sua disciplina e de alocar os recursos em papéis e títulos, mirando o longo prazo e uma boa diversificação de seu portfólio.

O Banco Central disponibiliza em seu site e de forma gratuita a “Calculadora do Cidadão”. Ali, você pode fazer suas primeiras simulações e projeções, levando em conta o número de meses, a taxa de juros e o valor depositado regularmente para descobrir quanto terá ao término do prazo definido por você.

Conclusão

Agora que você sabe o que são juros compostos e como calculá-los, é importante lembrar que eles são comuns em rendimentos fixos no Brasil. Qualquer outro tipo de investimento possui formas diferentes de calcular o rendimento e precisa ser verificado.

De qualquer modo, é importante ter conhecimento sobre o assunto, principalmente se você pretende começar a investir, tendo em vista que ativos de renda fixa são os melhores tipos para iniciantes. Deixe os juros compostos trabalharem por você. Não perca mais tempo e Vai Investir!