Notícias

Notícias

Ouro fecha em leve queda, puxada por apetite por risco e juros dos Treasuries

Por
Agência Brasil

O ouro recuou moderadamente nesta terça-feira, 21, à medida que investidores aguardam pelos próximos passos do Federal Reserve (Fed) em seu processo de aperto monetário. Em um contexto de poucos drivers, a recuperação de ativos atrelados ao risco nos mercados globais e o aumento dos juros dos Treasuries pesou sobre o metal precioso.

Na Comex, divisão para metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para agosto caiu 0,10%, a US$ 1.838,80 por onça-troy.

Sensível ao aperto monetário nos EUA – já que os retornos da renda fixa, o dólar e a perspectiva inflacionária do país tendem a influenciar seu preço – o ouro observou comentários de dirigentes do Fed hoje. Entre eles, o presidente da distrital de Richmond do BC, Thomas Barkin, afirmou ter defendido o aumento do juro em 75 pontos-base na semana passada, e disse que as pressões sobre os preços nos EUA estão disseminadas e justificam a postura agressiva do BC.

Para a Oanda, o ouro tem se firmado no atual patamar ao redor de US$ 1,84 mil à medida que o mercado aguarda por mais sinalizações sobre o aperto das condições financeiras. Na visão do CEO da U.S. Global Investors, Frank Holmes, a commodity tem se comportado bem diante do fortalecimento recente do dólar e dos juros dos Treasuries.

“O metal amarelo conseguiu se manter positivo desde o início do ano, evitando a pressão dos rendimentos crescentes e do dólar forte. Enquanto isso, quase todas as outras classes de ativos – de ações de grande e pequena capitalização a títulos, de fundos de investimento imobiliário a criptomoedas – caíram em território de correção ou bear market“, destaca Holmes, em relatório enviado a clientes.