AçõesEducação Financeira

Payback: saiba o que significa e como calcular o prazo de retorno de um investimento

4 Minutos de leitura

Quem quer fazer análises de investimentos precisa conhecer o payback. Ele é um dos métodos mais utilizados e é bem simples de entender, fornecendo resultados de forma rápida e confiável.

Ao utilizá-lo com outras métricas, você poderá ter estimativas de retorno e saber quanto tempo demorará para recuperar o que foi investido. Mas é preciso conhecer o conceito com detalhes para saber utilizá-lo da melhor maneira e não ter prejuízos.

Pensando nisso, neste conteúdo você entenderá o que é o payback e para que ele serve. Ademais, mostraremos como é feito o seu cálculo e quais métricas podem ser utilizadas em conjunto.

Confira a seguir!

O que é o payback?

Payback é uma expressão em inglês que significa “retorno”. Assim, a métrica representa o tempo necessário para recuperar o que foi gasto em um investimento. Podemos dizer, então, que ele demonstra o período de recuperação.

Dessa forma, o payback é o prazo em que os rendimentos somados obtidos com o investimento superarão o seu custo inicial. Por isso, quem deseja fazer um aporte que resulta em rendimentos, pode aplicar o conceito para avaliar oportunidades.

Para que serve o payback?

O payback é responsável por mostrar ao investidor em quanto tempo o seu investimento dará um retorno igual ao custo. Assim, imagine que você quer investir em Ações que rendam dividendos, e, para isso, fará um aporte de R$ 10.000.

Se a estimativa de retorno mensal é de R$ 100, o investimento inicial será pago em 100 meses. Logo, nesse exemplo, o tempo de payback é de 100 meses. Mais à frente você entenderá como fazer o cálculo com detalhes.

O payback também pode ser demonstrado de outras formas. Para os empreendedores, por exemplo, ele serve como uma métrica de quantas vendas devem ser feitas para que o lucro supere o custo.

O cálculo pode ser útil nos casos em que o gestor quer investir em um equipamento para reduzir custos de produção. O maquinário tem um preço que deve ser contabilizado. Então, é preciso saber quanto será economizado por produto e quantas vendas devem ser feitas até que haja um retorno.

Como calcular o payback?

Apesar de ser tão importante, o cálculo do payback é bem simples. A fórmula é a seguinte:

  • Payback = investimento / ganhos por período.

Retome aquele exemplo das Ações que rendem dividendos. O investimento inicial foi de R$ 10.000 e o rendimento esperado é de R$ 100 por mês. Dessa forma, dividindo 10.000 por 100 teremos o resultado de 100 meses.

Assim, o payback nos indica que o tempo de recuperação desse investimento é de 100 meses. Nesse momento, o investidor igualará o seu aporte e começará a lucrar. Mas é preciso ficar atento a algumas questões quando for analisá-lo.

De modo geral, quanto maior é o índice, maior é o tempo necessário para recuperar o investimento. Números menores de payback mostram que o investimento terá um retorno em tempo reduzido.

O ideal é que o aporte ofereça maiores retornos em um prazo menor. Contudo, não considere o payback sozinho. É essencial ponderar também outros fatores, como o risco. Investimentos que proporcionam alta rentabilidade em pouco tempo possuem maiores riscos, por exemplo.

Por que é importante conhecê-lo?

Já sabemos o que é o payback e para que ele serve, mas você entendeu a sua importância? Conhecê-lo é fundamental para direcionar seus investimentos e verificar se o retorno será compatível com seus objetivos.

Assim, sempre que for fazer um aporte, é válido considerar o payback e outras métricas importantes. Dessa forma, você conseguirá ter mais embasamento ao analisar a viabilidade de um aporte.

Aqui, é fundamental atrelar as métricas utilizadas aos seus objetivos. Suponha que o seu objetivo é deixar de trabalhar e começar a viver de renda em 10 anos. Para isso, é preciso buscar investimentos com expectativa de rentabilidade, prazo e liquidez condizentes com essa meta.

Ao verificar as opções, faça o cálculo do payback e verifique se haverá retorno dentro desse prazo estipulado. Assim, é possível determinar se o investimento escolhido poderá produzir os rendimentos necessários.

Contudo, lembre-se de que se trata de uma estimativa — especialmente quando falamos da renda variável. Afinal, não há garantias em relação à valorização ou ao pagamento de proventos.

Quais as vantagens e desvantagens dessa métrica?

A principal vantagem do payback é a facilidade de aplicá-lo nas práticas de investimentos. Isso serve tanto para investidores quanto para empreendedores, que podem calcular retornos e ganhos com tranquilidade.

Ele pode embasar decisões de investimentos e aumentar a segurança ao escolher aportes financeiros. Assim, ao ter diversas alternativas ou ser apresentado a uma oportunidade, o investidor pode realizar o cálculo para avaliar a opção.

Mas, por ser tão simples, o payback também apresenta algumas desvantagens. Como ele só contabiliza os rendimentos até igualar o investimento inicial, não considera o lucro que será produzido depois. Dessa forma, para aportes de longo prazo, ele pode não ser a melhor métrica.

Tenha em mente que ele também não leva em conta as oscilações que podem ocorrer durante o período. Para calculá-lo é preciso utilizar valores certos, mas sabe-se que nos investimentos isso não é uma situação comum. Em especial, na renda variável, que envolve volatilidade.

Assim, o payback deve ser utilizado com cuidado. Lembre-se de que ele mostra expectativas e serve como uma base para direcionar as decisões. Ainda assim, não deixe de lado suas desvantagens e use outras métricas em conjunto para ter mais segurança.

Quais métricas podem ser utilizadas em conjunto?

Como vimos, a análise de viabilidade de investimentos deve ser feita considerando diversas métricas. Assim, você terá mais segurança ao verificar os resultados e definir as alternativas que condizem com os seus objetivos.

Um dos indicadores que podem ser utilizados é o ROI (Return on Investment). Ele demonstra percentualmente quais foram os retornos obtidos em determinado aporte. Assim, é um bom indicador de performance e é utilizado em diversas áreas.

Outra métrica importante nesse momento é o VPL (Valor Presente Líquido). Ele calcula o ganho real do investimento, considerando, inclusive, a valorização do capital com o tempo. Por ser mais completo, pode ser um aliado nesse momento.

Conseguiu entender a importância do payback? Lembre-se que tanto investidores quanto empreendedores podem utilizá-lo ao analisar a viabilidade de investimentos. Usado em conjunto com outras métricas, ele oferece uma base para analisar o retorno de um aporte!

Quer entender melhor sobre rendimentos em um investimento? Então confira nosso conteúdo sobre dividendos e proventos!

Posts relacionados
AçõesColuna

Warren Buffett: quem é e quais suas estratégias de investimento?

4 Minutos de leitura
Inspirar-se em investidores de sucesso pode ser um caminho para atuar no mercado financeiro. Afinal, essa é uma forma de aproveitar as…
AçõesRenda Variável

Vale e Petrobras: conheça duas importantes blue chips brasileiras

8 Minutos de leitura
Quando o assunto são ações da bolsa de valores, mesmo quem não tem afinidade com esse universo lembra de empresas como a…
AçõesNotícias

Commodities e agronegócio: 8 empresas de destaque da bolsa brasileira

8 Minutos de leitura
O Brasil é um dos maiores produtores e exportadores de commodities do planeta. Não é por acaso que a bolsa de valores…