Educação Financeira

Dinheiro: você já imaginou o mundo sem ele?

2 Minutos de leitura

Tente imaginar o mundo sem dinheiro. Conseguiu? Não? Difícil? Bom, se lembrarmos das nossas aulas de história no ensino fundamental e médio, talvez isso possa nos ajudar. Mas realmente, pensar num mundo tão complexo em que vivemos, com intercâmbio de pessoas, produtos, transações comerciais e financeiras, 24 horas todos os dias não é tão fácil.

Vamos rememorar algumas coisas. Se voltarmos lá atrás, nos primórdios da civilização ocidental, logo perceberemos que haviam vários agrupamentos de pessoas determinadas primeiramente a sobreviver, em busca de alimento e proteção contra possíveis ameaças como intempéries, animais e mesmo outros agrupamentos.

A vida em grupo era muito instável com mudanças constantes de moradia atrelada às circunstâncias impostas pelas estações do ano. A partir da manipulação da pedra como artefatos de trabalho, caça e pesca, do domínio do fogo, e do pensamento a longo prazo, o ser humano passou a submeter as estações naturais aos seus atos de conservação da própria espécie. Assim, passou a fixar-se em determinadas regiões e a intercambiar produtos com outros grupos.

Essa modalidade de troca foi o ponta pé inicial do que entendemos hoje por dinheiro. É por isso que sem dinheiro, não teríamos escolha a não ser permutar coisas todos os dias. Daí a dificuldade em se pensar num mundo sem dinheiro. Isso demandaria muito tempo, além de tornar as trocas ineficientes.

A invenção do dinheiro

Segundo o livro ‘Se liga no dinheiro” a invenção do dinheiro como um meio de troca faz a economia funcionar de forma rápida e eficiente, além de permitir negócios em escala global. A libra esterlina, por exemplo, foi introduzida como moeda na Inglaterra no reinado do rei Offa da Mércia (757-796 d.C.). Na época, 240 pennies de prata equivaliam ao peso de uma libra e prata, daí o nome “libra esterlina”.

Os Estados Unidos adotaram o dólar como unidade de moeda em 1785, equivalente a 270 grãos (unidade de peso equivalente a 0,065g) de ouro ou 416 grãos de prata. Uma vez que as moedas de papel começaram a ser aceitas universalmente, o lastro de ouro e prata da moeda acabou, e o dinheiro de papel se tornou a norma.

Hoje existem inúmeras formas adicionais de utilizar o dinheiro, complementado por formas adicionais de pagamento, como cartões de crédito, débito, pré-pago, pagamentos sem contato via apps etc.

A economia afeta nossa vida de muitas formas, influenciando os setores para os quais trabalhamos e o modo como nosso governo funciona, chegando até ao dinheiro em nosso bolso, carteira e como nós o gastamos.


Posts relacionados
Educação Financeira

Como investir 100 mil reais? Descubra!

5 Minutos de leitura
Quem tem 100 mil reais e quer fazer alocações no mercado financeiro costuma se perguntar como investir esse valor. Entender como tomar…
Educação FinanceiraRenda Variável

Criptomoedas: o que são, como funcionam e como investir?

5 Minutos de leitura
Muitos investidores já ouviram falar da possibilidade de investir em criptomoedas, mas não sabem como esse mercado funciona. Com a ascensão dos…
Educação FinanceiraSelic

Relação entre Taxa Selic e Inflação (IPCA)

5 Minutos de leitura
Todos os dias, é possível ouvir nos noticiários sobre os índices e taxas percentuais que incidem na economia brasileira, como a Taxa…