Educação Financeira

Dinheiro: você já imaginou o mundo sem ele?

2 Minutos de leitura

Tente imaginar o mundo sem dinheiro. Conseguiu? Não? Difícil? Bom, se lembrarmos das nossas aulas de história no ensino fundamental e médio, talvez isso possa nos ajudar. Mas realmente, pensar num mundo tão complexo em que vivemos, com intercâmbio de pessoas, produtos, transações comerciais e financeiras, 24 horas todos os dias não é tão fácil.

Vamos rememorar algumas coisas. Se voltarmos lá atrás, nos primórdios da civilização ocidental, logo perceberemos que haviam vários agrupamentos de pessoas determinadas primeiramente a sobreviver, em busca de alimento e proteção contra possíveis ameaças como intempéries, animais e mesmo outros agrupamentos.

A vida em grupo era muito instável com mudanças constantes de moradia atrelada às circunstâncias impostas pelas estações do ano. A partir da manipulação da pedra como artefatos de trabalho, caça e pesca, do domínio do fogo, e do pensamento a longo prazo, o ser humano passou a submeter as estações naturais aos seus atos de conservação da própria espécie. Assim, passou a fixar-se em determinadas regiões e a intercambiar produtos com outros grupos.

Essa modalidade de troca foi o ponta pé inicial do que entendemos hoje por dinheiro. É por isso que sem dinheiro, não teríamos escolha a não ser permutar coisas todos os dias. Daí a dificuldade em se pensar num mundo sem dinheiro. Isso demandaria muito tempo, além de tornar as trocas ineficientes.

A invenção do dinheiro

Segundo o livro ‘Se liga no dinheiro” a invenção do dinheiro como um meio de troca faz a economia funcionar de forma rápida e eficiente, além de permitir negócios em escala global. A libra esterlina, por exemplo, foi introduzida como moeda na Inglaterra no reinado do rei Offa da Mércia (757-796 d.C.). Na época, 240 pennies de prata equivaliam ao peso de uma libra e prata, daí o nome “libra esterlina”.

Os Estados Unidos adotaram o dólar como unidade de moeda em 1785, equivalente a 270 grãos (unidade de peso equivalente a 0,065g) de ouro ou 416 grãos de prata. Uma vez que as moedas de papel começaram a ser aceitas universalmente, o lastro de ouro e prata da moeda acabou, e o dinheiro de papel se tornou a norma.

Hoje existem inúmeras formas adicionais de utilizar o dinheiro, complementado por formas adicionais de pagamento, como cartões de crédito, débito, pré-pago, pagamentos sem contato via apps etc.

A economia afeta nossa vida de muitas formas, influenciando os setores para os quais trabalhamos e o modo como nosso governo funciona, chegando até ao dinheiro em nosso bolso, carteira e como nós o gastamos.


Posts relacionados
Educação Financeira

6 dicas de como falar sobre dinheiro com as crianças

9 Minutos de leitura
A maioria de nós não cresceu aprendendo sobre educação financeira. E o mesmo acontece com muitas crianças de hoje, que se tornam…
AçõesEducação Financeira

Entenda o que é risco, volatilidade e o índice VIX

8 Minutos de leitura
É muito comum que alguns investidores mantenham seu foco na rentabilidade ao escolher investimentos. Mas você sabia que existem outros conceitos tão…
Educação Financeira

Como se livrar das dívidas de uma vez por todas? Saiba agora.

9 Minutos de leitura
Um dos primeiros passos para conseguirmos a independência financeira e segurança futura é se livrar da dívidas e ter o controle do…