FinançasNotícias

Bolsas da Europa fecham em baixa, com lockdown na Áustria e restrições na Alemanha

2 Minutos de leitura
As bolsas da Europa até abriram em alta nesta sexta-feira, 19, mas inverteram a direção e fecharam em baixa, após países europeus colocarem novas restrições à circulação de pessoas devido ao avanço da covid-19. A Áustria impôs outro lockdown, bem como a adoção obrigatória de vacinas para sua população a partir de 1º de fevereiro de 2022. A Alemanha também anunciou novas restrições.

Nesse cenário, o índice pan-europeu Stoxx 600 registrou queda de 0,33%, a 486,08 pontos. Em Londres, o FTSE 100 recuou 0,45%, a 7.223,57 pontos, enquanto o DAX caiu 0,38% em Frankfurt, a 16.159,97 pontos, e o CAC 40 cedeu 0,42% em Paris, a 7.112,29 pontos. Na Bolsa de Madri, o Ibex 35 teve perda de 1,68%, a 8.753,20 pontos. O PSI 20, por sua vez, perdeu 1,37%, a 5.501,97 pontos, em Lisboa.

“Qualquer pensamento de que as vacinas poderiam oferecer um caminho para um período de Natal mais normal parece ter virado fumaça por enquanto, pelo menos na Europa, embora haja um medo persistente de que isso possa se espalhar por toda a região”, explica o analista-chefe de mercados da CMC, Michael Hewson. “O fluxo de notícias sobre o coronavírus na Europa continua se deteriorando”, acrescentam economistas do Brown Brothers Harriman.

Papéis de companhias áreas, como Air France-KLM (-1,15%), e de fabricantes de aeronaves, como Airbus (-3,41%), caíram com a perspectiva de redução da demanda por voos com as novas quarentenas.

Por outro lado, ações de empresas que fornecem serviços de entrega de alimentos e comércio eletrônico subiram, já que são beneficiadas com as quarentenas. Hoje, a fabricante de kits de refeição HelloFresh avançou 3,8% e o grupo de entrega de alimentos Just Eat Takeaway teve ganho de 6,33%, enquanto a varejista on-line Zalando e a farmácia de comércio eletrônico Zur Rose subiram 4,06% e 3,30%, respectivamente.

O Commerzbank destaca em relatório que a quarta onda de casos de covid na Alemanha pesa sobre o setor de hospitalidade. Segundo o banco, o aumento do número de infecções faz com que a economia desacelere, com aumento do risco de que o Produto Interno Bruto (PIB) alemão tenha contração no quarto trimestre.

Ao longo da sessão, os operadores também acompanharam discursos de dirigentes do Banco Central Europeu (BCE). A presidente da instituição, Christine Lagarde, voltou a dizer que a inflação deve desacelerar na zona do euro. O dirigente Jens Weidmann, por outro lado, se mostrou mais preocupado com as pressões inflacionárias.