FinançasNotícias

Com foco na PEC dos Precatórios, Ibovespa cede 0,04%, aos 104.781,13 pontos

3 Minutos de leitura
grafico Com foco na PEC dos Precatórios, Ibovespa cede 0,04%, aos 104.781,13 pontos

Desempenho recorde da balança comercial da China em outubro e expectativa positiva para aprovação da PEC dos Precatórios em segundo turno na Câmara dos Deputados, amanhã, contribuíam para que o Ibovespa, mesmo sem muito fôlego, ensaiasse continuar no positivo nesta abertura de semana, buscando estender a recuperação da anterior, quando acumulou leve ganho de 1,28%. No meio da tarde, contudo, o desempenho positivo das ações de commodities, em especial Vale ON (+5,44%, maior ganho da carteira na sessão), foi insuficiente para carregar o índice adiante, em dia negativo para o setor financeiro, o de maior peso no Ibovespa – destaque para perda de 2,30% em Bradesco PN e de 1,98% na ON do banco, ambas na mínima do dia no fechamento.

Assim, após ter chegado a oscilar de volta para o positivo, o Ibovespa fechou perto da estabilidade, mas em viés negativo (-0,04%), aos 104.781,13 pontos, entre mínima de 104.182,49 e máxima de 105.678,85 pontos, saindo de abertura aos 104.824,32 pontos. Fraco, o giro financeiro ficou em R$ 25,1 bilhões nesta segunda-feira. No mês, o Ibovespa acumula ganho de 1,24% – no ano, cede 11,96%. “Poucos negócios na sessão, com giro bem fraco, e rotação das ações domésticas, como as de varejo, para os cavalos mais robustos, como Vale e Petrobras (ON +1,65%, PN +1,04%). Ibovespa quase no zero a zero, ainda travado pelo fiscal apesar dos descontos na Bolsa”, diz Charo Alves, especialista da Valor Investimentos

“A decisão da ministra (do Supremo Tribunal Federal) Rosa Weber de suspender o pagamento de emendas de relator ao Orçamento – modalidade de transferência de recursos aos parlamentares usada pelo governo para negociar com a base de apoio – adiciona incertezas ao cenário”, aponta em relatório a equipe de research da XP, observando também que a liminar da ministra “será submetida ao plenário virtual da corte, com decisão esperada até o fim da terça-feira”.

Na tentativa de tentar fazer com que o tema avance, Lira agendou encontro no fim da tarde de hoje com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, para discutir o chamado “Orçamento secreto”, na esteira da suspensão temporária por parte da ministra do STF. Em entrevista nesta segunda-feira ao Papo com Editor, do Broadcast Político, o presidente da Câmara disse não acreditar que o Supremo Tribunal Federal irá paralisar a votação da PEC.

Contudo, a decisão de Rosa Weber de suspender as emendas do relator e cobrar por explicações da mesa diretora e do presidente da Câmara sobre a autorização para deputados participarem remotamente da votação em primeiro turno lança alguma dúvida no cenário, ainda que permaneça a expectativa de que o segundo turno venha a ser realizado amanhã, conforme programado por Lira.

Ainda em relação à PEC dos Precatórios, a XP aponta que “os principais riscos, em caso de atraso, vão na direção do fortalecimento de um plano B, alternativo à PEC que abre espaço no Orçamento de 2022, para assegurar o pagamento do Auxílio Brasil em dezembro, que poderia envolver outras modalidades de pagamento fora do teto de gastos”.

“O Brasil está numa bolha de problemas, então acaba se olhando muito para o que está acontecendo aqui dentro, e menos pra fora – nos Estados Unidos, as coisas estão calmas, com os índices refletindo os resultados corporativos, e nem a confirmação do ‘tapering’ assustou. Apesar da necessidade de se aprovar a PEC parecer óbvia, o governo tem encontrado dificuldades. Se falhar agora na PEC, o sinal será muito ruim em termos de governabilidade, sobre o que virá adiante, com enfraquecimento do governo (em relação à capacidade de condução da agenda)”, diz Rodrigo Knudsen, gestor da Vítreo.

Pela manhã, a leitura do IGP-DI (+1,60%, vindo de -0,55%) mostrou aceleração da inflação no atacado em outubro (+1,90%), que havia mostrado retração (-1,17%) no dado do mês anterior – assim, os DIs curtos subiram, na semana em que o mercado aguarda a divulgação, na quarta-feira, do IPCA de outubro, outro fator acompanhado de perto pelos investidores.

“Muito do cenário sobre inflação e juros já foi para o preço dos ativos, mas a cada nova notícia, boa ou ruim, há algum ajuste. Houve um fluxo real de resgates e não há força compradora para uma retomada no momento, então o Ibovespa fica mais acomodado apesar dos preços baratos, que favorecem as aquisições com foco no longo prazo. Mas os juros estão subindo também, voltando a ficar mais atraentes”, dando opção ao investidor com menos exposição a risco, em momento de elevada incerteza, observa Knudsen.

Na ponta do Ibovespa nesta segunda-feira, além da Vale ON, destaque para Usiminas PNA (+4,56%), Cogna (+4,48%), Cielo (+4,37%) e Gerdau PN (+3,84%). Na face oposta do índice, Banco Inter (Unit -7,30%, PN -7,29%), Americanas ON (-6,49%) e Banco Pan (-5,82%).

×
Aprenda a InvestirAnálise & Opinião

Você sabe tomar decisão?