FinançasNotícias

Em 3ª alta seguida, Ibovespa sobe 1,24%, aos 105.811,25 pontos

2 Minutos de leitura
Em sua melhor sequência desde o intervalo entre 21 e 23 de setembro, quando havia progredido 5.220 pontos em avanço de 4,79%, o Ibovespa costurou nesta quinta-feira a terceira alta consecutiva, algo que não ocorria desde a série entre 9 e 11 de novembro, quando o ganho foi de 2,68%, referente a expansão de 2.813,54 pontos no período. Hoje, o índice da B3 subiu 1,24%, aos 105.811,25 pontos, acumulando recuperação de 3,61%, em torno de 3,7 mil pontos desde o fechamento negativo da segunda-feira, com ganho até aqui na semana a 2,69% e a 2,23% em novembro – no ano, cede 11,10%. Com o feriado de Ação de Graças nos Estados Unidos, sem mercado em Nova York, o giro ficou em R$ 26,6 bilhões.

“A votação da PEC dos Precatórios ficou para a próxima semana no Senado, e se permanecer conforme já foi indicado, pode abrir espaço para um pouco mais de recuperação, embora se tenha uma situação ainda de alerta (quanto ao fiscal)”, diz Wanessa Guimarães, sócia da HCI Invest, observando também que a retomada do Ibovespa nas últimas sessões foi muito condicionada pelo bom desempenho das ações de Petrobras e de bancos, com o mercado reagindo especialmente à sinalização sobre dividendos da estatal.

“O Conselho (da Petrobras) aprovou a revisão de sua política de remuneração aos acionistas e definiu remuneração mínima anual de US$ 4 bilhões para exercícios em que o preço médio do Brent for superior a US$ 40 o barril”, aponta em nota a Terra Investimentos, chamando atenção também para investimento de US$ 68 bilhões entre 2022 e 2026, “24% maior comparado ao período entre 2021 e 2025, mas ainda aquém dos US$ 75,7 bi para cinco anos anunciados no final de 2019, antes da pandemia”.

“A Petrobras estima que a distribuição de dividendos aos acionistas somará entre US$ 60 bilhões e US$ 70 bilhões até 2026, sendo US$ 20 a US$ 25 bilhões destinados à União”, diz Rafael Ribeiro, analista da Clear Corretora. “O diretor financeiro da Petrobras, Rodrigo Araujo, disse que a antecipação da meta para o endividamento abre uma nova fase para a companhia, que a partir de 2022 deverá conseguir distribuir dividendos equivalentes a cerca de 60% do fluxo de caixa operacional após investimentos”, acrescenta.

Por sua vez, a demanda por ações de bancos nesta quinta-feira respondeu à apresentação, em Brasília, em cerimônia no Palácio do Planalto, do projeto de lei sobre o Novo Marco de Garantias, que pretende resgatar o uso de hipoteca como modalidade de garantia no mercado de crédito brasileiro. Hoje, segundo nota do Ministério da Economia, o mecanismo é usado em apenas 6% das operações de crédito imobiliário, em razão de insegurança jurídica, que o projeto pretende suprimir com o aperfeiçoamento legal.

Nesta quinta-feira, Petrobras ON e PN fecharam respectivamente em alta de 4,13% e 4,41%, enquanto os ganhos nas ações de grandes bancos ficaram entre 0,39% (Bradesco ON) e 5,19% (BB ON, na máxima do dia no fechamento). Destaque também para o setor de utilities, em especial Eletrobras (PNB +2,32%, ON +2,47%) e siderurgia (CSN ON +2,23%), enquanto Vale ON fechou em baixa de 0,68% após uma sequência de recuperação do papel, com a retomada recente no preço do minério de ferro – nesta quinta-feira, em leve baixa de 0,39% em Qingdao, na China.

Na ponta do Ibovespa, destaque para Gol (+9,69%), Banco Pan (+8,27%), CVC (+6,87%) e Eztec (+5,57%). No lado oposto, Marfrig (-2,86%), JBS (-2,45%) e Intermédica (-2,17%).

Na agenda macro desta quinta-feira, embora as indicações de ontem do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, lidas como “dovish”, tenham contribuído para acalmar o mercado, a prévia da inflação oficial de novembro, o IPCA-15, divulgada hoje a 1,17%, a mais alta para o mês desde 2002, coloca a variação acumulada em 12 meses a 10,73%, vindo de 10,34% no intervalo até outubro.