EconomiaNotícias

FGV: indicador antecedente de emprego sobe 0,1 ponto em outubro, para 87,1 pontos

1 Minutos de leitura
O Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) subiu 0,1 ponto na passagem de setembro para outubro, para 87,1 pontos, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta quinta-feira. Em médias móveis trimestrais, o IAEmp recuou 0,7 ponto.

“O IAEmp ficou relativamente estável no mês de outubro e liga o sinal de alerta sobre o ritmo de recuperação do mercado de trabalho. A desaceleração da atividade econômica parece pesar na evolução do indicador, que ainda se encontra abaixo do nível pré pandemia. Para os próximos meses, o cenário ainda é de continuidade da retomada do mercado de trabalho, mas em ritmo gradual e sendo mais intensa no setor de serviços, que sofreu mais ao longo da pandemia e que possui expectativas mais favoráveis para o final do ano. No médio e longo prazo, o cenário é incerto dependendo de uma recuperação mais robusta da atividade econômica”, avaliou Rodolpho Tobler, economista do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.

O IAEmp sugere expectativa de geração de vagas adiante, quanto maior o patamar, mais satisfatório o resultado. O indicador é formado por uma combinação de séries extraídas das Sondagens da Indústria, de Serviços e do Consumidor, todas apuradas pela FGV. O objetivo é antecipar os rumos do mercado de trabalho no País.

Em outubro, quatro dos sete componentes contribuíram positivamente, enquanto três tiveram impacto negativo. A Indústria influenciou negativamente o indicador, com destaque para a perda provocada pelo componente que mede as expectativas para os próximos seis meses, que recuou 7,2 pontos em outubro ante setembro.