FinançasNotícias

Moedas: dólar opera em alta ante maioria das moedas, com dados nos EUA e Fed

2 Minutos de leitura
O dólar operou em alta nesta terça-feira, 16, ante a maioria das moedas, em sessão marcada pela divulgação de indicadores firmes nos Estados Unidos. Os dados reforçaram a percepção de uma necessidade de aperto monetário por parte do Federal Reserve (Fed), o que impulsionou a divisa. Entre as moedas de países emergentes, a lira turca teve destaque ao se desvalorizar fortemente em uma semana na qual o mercado vem antecipando um corte nos juros pelo banco central do país.

O DXY fechou a sessão com alta de 0,53%, a 95,915 pontos. No fim da tarde em Nova York, o dólar subia a 114,76 ienes, o euro caía a US$ 1,1318 e a libra avançava para US$ 1,3428.

Após a divulgação da produção industrial e das vendas do varejo com aumentos acima do esperado hoje nos EUA, o mercado se voltou para os potenciais efeitos na política do Fed. O Bank of America (BoFA) esperava um viés de alta para o dólar em 2021, mas acredita que a moeda americana possa ter uma subida adicional, algo inspirado pela inflação. Segundo o banco, investidores ficaram “muito surpresos” com a leitura dos preços americanos na última semana.

“Esperamos que o Fed mude sua comunicação para um tom mais hawkish”, e terá que preparar os mercados para um ciclo de aperto monetário mais precoce e mais rápido”, avalia o BofA. Segundo a análise, a inflação aumentou em todas as economias do chamado G10 – que reúne algumas das mais desenvolvidas – neste ano, mas aumentou mais nos EUA.

No caso do euro, apesar do aumento da inflação na região, o BoFA avalia que a presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, está certa em enfatizar que a autoridade monetária ainda não está cumprindo sua meta de inflação. Como um dos resultado, a Western Union lembra que o euro atingiu suas mínimas ante o dólar em 16 meses. Na contramão, a libra avançou hoje ante ao dólar depois da divulgação da leitura de outubro da taxa de desemprego no Reino Unido, que cedeu a 4,3% – indicando que o impacto do fim do programa de apoio ao emprego foi menor que o temido.

Em emergentes, a lira turca despencou e atingiu mínima histórica na comparação com o dólar, em meio à expectativa de que o banco central da Turquia corte juros na decisão da próxima quinta-feira, apesar das crescentes pressões inflacionárias. No fim da tarde, o dólar saltava a 10,3219 liras turcas, de 10,0475 no fim da tarde de ontem.

Outra queda relevante foi do peso chileno, que caiu em meio ao julgamento do presidente Sebastián Piñera no Senado do país, enquanto as eleições do próximo domingo se aproximam. Ao fim do dia, o dólar avançava fortemente a 812,25 pesos chilenos, de 796,80 no fim da tarde de ontem. Já o peso argentino teve movimentação tímida, mas no mercado paralelo, o chamado dólar blue atingiu o patamar simbólico de 200 pesos, de acordo com o jornal La Nación.