FinançasNotícias

Petróleo fecha em queda, após Opep+ confirmar ritmo de alta na oferta

1 Minutos de leitura
Os contratos futuros de petróleo fecharam em queda, nesta quinta-feira, 4. A sessão foi volátil, com a commodity alternando entre altas e baixas. Como destaque no dia, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) confirmou a expectativa e informou que elevará a oferta em 400 mil barris por dia (bpd), reafirmando acordo anterior sobre o assunto, mesmo após os Estados Unidos terem pressionado por uma alta maior a fim de conter os preços.

O petróleo WTI para dezembro fechou em baixa de 2,54 (-US$ 2,05), em US$ 78,81 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para janeiro caiu 1,77% (-US$ 1,45), a US$ 80,54 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex).

Ainda antes da decisão oficial, vários veículos internacionais informaram, a partir de fontes, que a Opep+ manteria o ritmo já estabelecido para o avanço da sua produção. Pela manhã os contratos chegaram a flertar com altas de 3%, mas perderam fôlego. O movimento ocorreu em parte por causa do câmbio, com o dólar forte no dia.

Em comunicado, a Opep+ confirmou a expectativa sobre a alta na oferta. O vice-premiê da Rússia, Alexander Novak, ressaltou durante entrevista coletiva do grupo que a demanda por petróleo ainda é prejudicada pela variante delta da covid-19 e seus efeitos – a Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou hoje para alta recente dos casos do vírus pelo mundo. O presidente do grupo, o ministro da Energia saudita, Abdulaziz bin Salman Al Saud, defendeu a estratégia da Opep+ e lembrou que há dificuldades entre os países para um aumento mais agressivo.

Para a Capital Economics, a Opep+ não deve ter pressa em adicionar mais petróleo ao mercado, sendo beneficiada com os níveis atuais. A consultoria Wood Mackenzie, por sua vez, considera que os preços dos contratos devem perder fôlego, recuando de máximas recentes.