EconomiaNotícias

Preço do urânio dispara com maior busca por combustível nuclear

1 Minutos de leitura
O entusiasmo dos operadores individuais está reorganizando o mercado de combustível nuclear, que gera um décimo da eletricidade mundial, e elevando os estoques de urânio. Após uma década em baixa devido à catástrofe de Fukushima, o preço do urânio no mercado à vista subiu a 47 libras – no início de agosto, o valor era de 32,25 libras. O custo permanece abaixo do recorde de 137 libras de 2007, de acordo com o rastreador de preços UxC LLC.

Apenas neste mês, as ações da mineradora Cameco saltaram mais de 20%, as da mineradora Denison Mines aumentaram 27% e as da Uranium Energy subiram mais de 14%. Operadores individuais impulsionaram o preço do urânio e se juntaram a um fundo que oferece uma forma mais barata e fácil de apostar no mercado de combustível nuclear. Com foco no urânio as ações da Sprott Asset Management saltaram 49% desde julho.

As aquisições da Sprott estão ajudando a esgotar o urânio acumulado desde Fukushima, mas a alternância entre compras e interrupções tem levado a altas oscilações de preço. Os estoques aumentaram ainda mais na última segunda-feira, após a mineradora Kazatomprom promover um fundo em parceria com o Banco Central do Cazaquistão e a companhia de investimentos Genchi Global. O fundo começará com US$ 50 milhões e pretende levantar mais de US$ 500 milhões.

“É obviamente uma retirada de material do mercado”, disse Jonathan Hinze, presidente da UxC. Segundo ele, o fundo da Kazatomprom dificilmente terá o mesmo efeito nos preços do urânio como o fundo Sprott, que possui mais de US$ 1,6 bilhão em urânio.

Os operadores estimam que entre 70 milhões e 90 milhões de libras serão negociadas em urânio em 2021, ficando acima dos 50 milhões de um ano normal.

Ações da companhia de investimentos em urânio Yellow Cake saltaram 54% neste ano. A empresa disse que espera receber 2 milhões de libras da Kazatomprom entre outubro e dezembro, elevando o seu valor global para quase 16 milhões de libras.

“Nós nunca vimos isso no mercado de urânio. A longo prazo, parece otimista “, disse Amir Adnani, chefe-executivo da Uranium Energy Corp., sobre os fundos Sprott e Kazatomprom. :