EconomiaNotícias

Temas climáticos impactam política monetária, afirma presidente do BC

1 Minutos de leitura
O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, repetiu que a autarquia precisa estar preocupada com a transição para a economia verde, pois as questões climáticas afetam os mandatos do Banco Central de estabilidade dos preços e de estabilidade financeira.

“A bandeira de energia saiu de menos de R$ 2 para R$ 14,40 por falta de chuvas. Temas climáticos afetam a política monetária”, disse Campos Neto, durante palestra sobre Sustentabilidade do Mundo Financeiro no Seminário Internacional “Agronegócio Sustentável no Brasil”, promovido pelas Comissões de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado Federal e da Câmara dos Deputados, em Lisboa.

O presidente do BC também destacou que os bancos devem ter consciência de que precisam destinar recursos para projetos sustentáveis.

Carbono

Campos Neto afirmou ainda que é um passo importante na discussão de uma economia mais verde uma distribuição do custo de carbono entre produtores e consumidores. “Hoje, a carga de carbono é maior em quem produz do que sobre quem consome. Se não for equacionado, alguns produtores de insumos vão deixar de produzir com essa carga de carbono. O consumidor vai ter que deixar de consumir ou consumir mais caro.”

Além disso, repetiu que é preciso criar um mercado de carbono que funcione globalmente.

Segundo ele, em um mercado de carbono funcional, os recursos disponíveis irão encontrar os projetos sustentáveis de forma eficiente. “Achar que governos alocam recursos melhor que mercado é um erro. Não podemos cair em armadilha de imposto sobre carbono”, criticou.