EconomiaNotícias

Com forte pressão de combustíveis, gasto com transportes sobe 2,62% no IPCA

1 Minutos de leitura
Os gastos das famílias com transportes passaram de uma elevação de 1,82% em setembro para um aumento de 2,62% em outubro, um impacto de 0,55 ponto porcentual sobre a taxa de 1,25% registrada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) no último mês, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira, 10.

A principal pressão foi dos combustíveis, que subiram 3,21%. A gasolina aumentou 3,10%, item de maior impacto individual sobre o índice do mês, 0,19 ponto porcentual. A gasolina teve a sexta elevação consecutiva, acumulando altas de 38,29% no ano e de 42,72% em 12 meses.

Em outubro, também ficaram mais caros o óleo diesel (5,77%), etanol (3,54%) e gás veicular (0,84%).

Os preços das passagens aéreas subiram 33,86% em outubro, com altas em todas as regiões pesquisadas: desde 8,10% em Rio Branco até 47,52% no Recife. O item deu a segunda maior contribuição para a inflação, 0,15 ponto porcentual.

O transporte por aplicativo aumentou 19,85%.

Os preços dos automóveis novos subiram 1,77%, enquanto os automóveis usados aumentaram 1,13%, acumulando elevação de 12,77% e 14,71% em 12 meses, respectivamente.