FinançasNotícias

Com risco fiscal, Ibovespa cai 0,89%, menor nível do ano

2 Minutos de leitura
desaceleracao 2 Com risco fiscal, Ibovespa cai 0,89%, menor nível do ano

A cautela quanto à situação fiscal doméstica voltou a se impor à trajetória do Ibovespa no meio da tarde desta segunda-feira, 22. Após a referência da B3 ter chegado aos 104.613,07 pontos no começo da etapa vespertina, então na máxima do dia, passou a perder fôlego até chegar, gradualmente, aos 102.122,37 pontos, em baixa de 0,89% no fechamento, correspondente à mínima da sessão e também de encerramento no ano – menor nível desde o fechamento de 6 de novembro de 2020 (100.925,11).

No meio da tarde, os juros futuros e o câmbio também oscilaram com a revisão, pelo Ministério da Economia, do efeito da PEC dos Precatórios na disponibilidade do governo para gastos. A projeção de folga no teto em 2022 ficou maior, passando de R$ 91,6 bilhões para R$ 106,1 bilhões, segundo informou o secretário Especial do Tesouro e Orçamento, Esteves Colnago, em audiência no Senado.

Nos piores momentos desta segunda-feira, a referência da B3 não conseguiu se distanciar das mínimas observadas nas três sessões anteriores, voltando a ficar perto de testar os 102 mil pontos, para baixo. No mês em curso, acumula agora perda de 1,33%, estendendo a série negativa iniciada em julho, que coloca a retração no ano a 14,20%. Na sessão, o giro ficou em R$ 30,0 bilhões.

“O mercado continua com o pé atrás, muito cauteloso com relação ao fiscal, e hoje este recálculo sobre o teto fez preço, foi o fator de maior peso no dia, na abertura de semana que, na prática, será mais curta, com o feriado de Ação de Graças nos Estados Unidos”, diz Viviane Vieira, operadora de renda variável da B.Side Investimentos.

Mais cedo, o bom desempenho das ações de commodities, em especial de Vale ON (+5,56%; mais cedo, acima de 7%), e em menor medida de Petrobras (ON +0,92%, PN +1,00% mo encerramento), mantinha o sinal positivo do Ibovespa, em sessão na qual o desempenho dos grandes bancos passou de positivo, em avanço superior a 1% até o início da tarde, a negativo, no meio da etapa vespertina, com destaque para Bradesco PN (-1,70% no fechamento). Vale ON segurou a ponta do Ibovespa ao longo da sessão, à frente de Bradespar (+4,46%) e de Usiminas (+2,94%) no encerramento.

Recente retomada, ainda que parcial, nos preços do minério de ferro deu suporte ao setor de siderurgia como um todo (CSN ON +1,92%, Gerdau PN +2,58%), em meio a sinais mais favoráveis sobre o setor de construção civil na China, grande demandante de matérias-primas como o aço. A retomada do minério veio após o banco central chinês “sinalizar novas medidas para estimular a economia, além das notícias da última semana, de melhora do setor de construção, ponto crítico para o desempenho da commodity neste último trimestre”, observa Rafael Ribeiro, analista da Clear Corretora.

Na face oposta do Ibovespa, destaque nesta segunda-feira para Banco Inter (Unit -14,11%, PN -12,65%), Locaweb (-9,24%) e Méliuz (-7,30%).