Análise & Opinião

Comprar imóvel ou alugar? Descubra qual a melhor opção para você!

5 Minutos de leitura
comprar imóvel ou alugar

Para muitas pessoas, o mercado imobiliário pode ser um espaço de vastas oportunidades. Além disso, o sonho da casa própria é muito presente. Porém, na hora de escolher onde morar, é possível se deparar com uma dúvida comum: comprar imóvel ou alugar?

De modo a responder a essa pergunta, é preciso analisar diversos fatores. Eles, inclusive, passam pelo universo dos investimentos. Sendo assim, é interessante acompanhar este conteúdo para conhecer todas as opções disponíveis.

Boa leitura!

O mercado imobiliário

Apesar do arrefecimento da quarentena causada pela pandemia da Covid-19, as pessoas estão passando mais tempo dentro das próprias casas e começaram a notar sobre a possibilidade de viver em um espaço maior, com cuidado no paisagismo e até afastados de grandes centros urbanos.

O fato é que as taxas de juros do primeiro semestre de 2021 seguem próximas da mínima histórica e, com isso, empréstimos imobiliários estão baratos. Essas linhas de financiamento tiveram um aumento de 57,5% de 2019 para 2020 em termos de volume financeiro, atingindo um valor recorde de R$ 124 bilhões no ano passado, segundo dados da Abecip, associação que representa as entidades de crédito.

O ano tem sido difícil tanto para pessoas quanto para negócios. Diversos mercados foram impactados pela pandemia — e o imobiliário está entre eles.  Além disso, a própria rotina de visitar imóveis para compra ou aluguel foi afetada pelas medidas sanitárias.

Por outro lado, o mercado imobiliário tem tido formas de resiliência. Uma delas foi continuar atuando com inovação — que já se fazia presente antes do covid. Por exemplo, com a possibilidade de visitas online, imagens em 360 graus e QR Codes que trazem as principais informações sobre o espaço. Nesse sentido, foi possível tentar contornar as barreiras geográficas.

Diante disso, uma questão se intensificou por parte dos que buscam por moradia: comprar imóvel ou alugar? E, para ajudar a respondê-la, é interessante analisar possíveis pontos positivos e negativos de ambas as escolhas.

Quais as vantagens de comprar um imóvel?

Vamos começar pela compra de um imóvel. Essa é uma decisão de grande impacto. Sendo assim, é fundamental entender o que ela significa.

Confira alguns pontos positivos!

Proteção aos reajustes de preço

Quem vive de aluguel sabe que o reajuste dos preços é uma realidade. A variação dos índices ligados ao aluguel podem mexer diretamente no valor, o que impacta o orçamento. Ao comprar um imóvel, isso deixa de ser um problema.

Patrimônio consolidado

Um imóvel é um bem. Ao final da quitação do pagamento, ele fica no nome do proprietário. Isso pode representar segurança e tranquilidade para muitas pessoas.

Além disso, a consolidação desse patrimônio tende a se tornar uma herança, compondo o patrimônio da família. Dessa maneira, é possível estender a proteção aos filhos, por exemplo, mais tarde na vida.

Possibilidade de renda

Diversas pessoas optam por alugar os imóveis que compraram. Isso pode ser feito como investimento ou como uma fonte de renda extra mensal, por temporada ou de acordo com o combinado entre as partes. Se o objetivo for gerar renda de aluguel, deve-se considerar que há muitas indefinições no ar e este talvez não seja o melhor momento.

O mercado de aluguéis (tanto residenciais como comerciais) está no meio de um turbilhão por conta da Covid-19. Aluguéis são reajustados majoritariamente pelo IGP-M, cujo acumulado de 12 meses na 1ª prévia de maio de 2021 é de 35,18%. Tem sido muito difícil para o proprietário repassar esses reajustes, sendo comum manter o valor do contrato e, quando não, conceder meses de desconto e manter o inquilino.

Quais as desvantagens de comprar um imóvel?

Após analisar potenciais benefícios de comprar um imóvel, é hora de conferir possíveis desafios. Acompanhe!

Gastos enquanto não estiver alugado

No caso daqueles que desejam ter uma renda extra com o aluguel do imóvel comprado, é preciso estar atento. Enquanto o espaço não estiver alugado, taxas como o condomínio e os impostos serão custos extras no orçamento.

Baixa liquidez

A incapacidade de vender um imóvel com rapidez para ter o dinheiro em mãos quando necessário pode ser um problema para diversas pessoas. Ter um bem próprio pode dificultar, por exemplo, transições de carreira, mudanças de cidade etc.

Alto preço

Inegavelmente, comprar um imóvel custa bastante. Para muitas pessoas, financiar não é uma opção — em especial àquelas com restrições no nome. Então, é importante analisar sua realidade antes de tomar a decisão.

Quais as vantagens e desvantagens de alugar um imóvel?

Como alternativa à compra de imóveis para geração de renda é interessante considerar fundos imobiliários. Via de regra, embora tenham sofrido os mesmos impactos vistos no mercado em geral, muitos deles conseguiram, por conta da gestão profissional, manejar bem a vacância e já tiveram o impacto da renegociação de contratos.

Por isso, os dividendos já estão normalizados e em muitos deles, com uma mínima melhora econômica, há boas perspectivas de crescimento tanto no valor da cota (lembre-se que se pagam 20% de imposto de renda sobre os ganhos na venda delas) quanto nos dividendos (isentos de imposto na pessoa física). Consultar um profissional do mercado financeiro é uma boa decisão antes de escolher em quais fundos alocar recursos.

Vamos analisar o aluguel propriamente dito. Muitas das vantagens e desvantagens citadas acima se enquadram na hora de alugar.

Em primeiro lugar, o aluguel costuma ser mais barato do que a prestação em financiamentos. Assim, para aqueles que estão com o orçamento apertado ou que não podem contar, imediatamente, com um financiamento com boas condições, ele pode ser a melhor escolha.

Além disso, é possível citar a facilidade de entrar no imóvel. Quando você aluga, basta apresentar garantias iniciais de que é capaz de arcar com os custos que, em geral, já é possível iniciar os trâmites de moradia. Por fim, é comum que custos de manutenção fiquem por conta do proprietário.

Já em termos de desvantagens, é fundamental considerar os reajustes de preço, o fato de que você não terá um patrimônio e a falta de liberdade para realizar alterações no espaço de acordo com sua vontade.

Mas, afinal, comprar imóvel ou alugar?

Ao conhecer as duas opções, é possível observar que a decisão de comprar imóvel ou alugar depende da realidade de cada pessoa. Para entender como as vantagens e desvantagens citadas se encaixam em suas necessidades, é interessante avaliar:

  • objetivos financeiros;
  • metas para o futuro;
  • montante disponível imediatamente para a compra, potenciais financiamentos ou aluguel;
  • seu perfil;
  • suas prioridades.

Além disso, é válido considerar as possibilidades trazidas pelo mercado financeiro. Isso porque, diferentemente do que muitos sabem, é possível ganhar dinheiro com imóveis sem precisar comprá-los. Nesse sentido, existem, por exemplo, os Fundos Imobiliários.

Eles são alternativas de investimento que reúnem diversos investidores em torno de um objetivo em comum. Assim, algumas pessoas podem investir dinheiro em objetivos de longo prazo enquanto pagam aluguel, tendo tempo para poupar o valor da compra de um imóvel no futuro.

Desse modo, você tenderá a ter um montante maior disponível para aplicar e multiplicar seu patrimônio. Consequentemente, pode fazer seu dinheiro “trabalhar para você” e comprar um imóvel com mais facilidade depois.

A decisão de comprar imóvel ou alugar está em suas mãos. Caso você tenha uma vida financeira estável e ter um imóvel seja um sonho, comprar pode ser uma alternativa. Já se essa não é uma prioridade e você se interessa mais pela possibilidade de investir, alugar pode ser o mais adequado.

Se você gostou do conteúdo deste artigo, assine a nossa newsletter e receba postagens sobre investimentos financeiros diretamente em seu e-mail!

85 posts

Sobre o autor
Thiago Goulart é o Editor da Vai Investir e do podcast Valor de Mercado. Adora praticar tênis, ler, escutar música e estar na presença de amigos e família. Graduado em Letras pela UFES e em Jornalismo pela PUC-SP, está se tornando também especialista em finanças com o MBA no tema pela PUC- RS. Com uma longa carreira em sala de aula, desenvolveu a habilidade e sensibilidade para conectar pessoas a conhecimentos. Hoje, aplica essa experiência de maneira mais específica para o mercado financeiro, por quase 3 anos sendo o principal responsável pelo desenvolvimento e curadoria de conteúdo para a Valor Investimentos e Vai Investir.
Artigos
Posts relacionados
Educação FinanceiraAnálise & Opinião

Você sabe tomar decisão?

5 Minutos de leitura
Uma das características comum à espécie humana é indagar sobre o seu futuro, na tentativa de controlá-lo. No entanto, há um paradoxo…
Educação FinanceiraAnálise & Opinião

O que os esportes radicais têm em comum com os investimentos?

6 Minutos de leitura
A imagem do investidor geralmente está relacionada a uma pessoa de traje social, em uma sala exclusiva no alto de um prédio…
Educação FinanceiraAnálise & Opinião

Dinheiro: quais propósitos te movem?

2 Minutos de leitura
Família, poder, saúde, força, conhecimento, autonomia, riqueza, amizade, trabalho, amor, paz, prestígio. Dessas palavras, escolha apenas três que mais lhe representa. Agora,…