EconomiaNotícias

CSN Mineração: lucro líquido cai 45% no 3º trimestre, para R$ 804 milhões

2 Minutos de leitura
O lucro líquido da CSN Mineração no terceiro trimestre de 2021 caiu 45% na comparação com o mesmo período do ano passado, para R$ 804 milhões. Em relação ao segundo trimestre deste ano, a redução foi de 68%.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação) ajustado atingiu R$ 911 milhões entre julho e setembro deste ano, queda de 66% na comparação com o mesmo período do ano passado e redução de 82% ante o segundo trimestre de 2021.

A receita líquida ficou em R$ 2,783 bilhões, queda de 29% ante o terceiro trimestre de 2020 e redução de 62% ante o segundo trimestre deste ano. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira, 3, pela companhia. No relatório de resultados, a companhia diz que a queda de preço no mercado internacional e menor volume de vendas impactaram os resultados na mineração.

“A forte redução do preço do minério com significativa reversão de provisão de receitas de períodos anteriores, além de maiores custos com frete reduziram significativamente o resultado da empresa no terceiro trimestre.

Adicionalmente, a estratégia de preservar o valor do produto resultou em queda no volume de vendas e um maior volume de cargas não vendidas ao final do trimestre”, diz a companhia.

Por outro lado, o volume de produção veio em linha com as expectativas, ressaltando a eficiência operacional da companhia, diz a empresa. Verificou-se um forte aumento nos níveis de estoques de modo a esperar melhores condições de mercado.

A CSN Mineração informou que o Fluxo de Caixa Ajustado no terceiro trimestre alcançou R$ 3,925 bilhões, um desempenho superior ao Ebitda em razão da redução do capital de giro da companhia. Adicionalmente, o efeito positivo da variação cambial também contribuiu positivamente para o resultado.

“Esse desempenho reforça a sustentabilidade do negócio e a resiliência da Companhia ao conseguir entregar uma forte geração de caixa mesmo em um período com grandes pressões não recorrentes no resultado. Além disso, o resultado alcançado mostra a capacidade da CSN Mineração para financiar seus projetos de longo prazo ao mesmo tempo em que mantém uma robusta política de dividendos”, diz a empresa.

Em 30 de setembro, a CSN Mineração possuía caixa líquido de R$ 7,18 bilhões, uma expansão de aproximadamente R$ 1,28 bilhão em relação ao trimestre anterior. O indicador de alavancagem, medido pela relação Dívida Líquida/Ebitda, foi de -0,57x.

A CSN Mineração investiu R$ 352 milhões no terceiro trimestre, especialmente em projetos ligados a aumento de produção e qualidade, além de sobressalentes para suportar a frota e respectiva movimentação de mina. Quando se compara com o trimestre anterior, percebe-se uma queda significativa em relação aos investimentos com expansão de negócios, uma vez que os projetos de concentração magnética (CMAI III) e rebritagem já entraram em período de testes.

“A segunda leva de equipamentos de grande porte para o projeto da P15 está sendo adquirida, o que deve acelerar novamente os investimentos no quarto trimestre, de modo a atingir o guidance esperado pela companhia”, informa.