FinançasNotícias

Dúvidas sobre PEC dos Precatórios limita alta do Ibovespa, apesar de balanços

4 Minutos de leitura
A possibilidade de judicialização da PEC dos Precatórios, cujo segundo turno da votação está previsto para esta semana na Câmara, atrapalha o Ibovespa de dar sequência à alta de sexta-feira (5) e de seguir o viés positivo externo. A decisão da ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), de suspender o pagamento dos precatórios, sustenta a cautela do investidor, à medida que ameaça o andamento da PEC e eleva a desconfiança com relação à responsabilidade fiscal do País.

Somadas a esta cautela, perspectivas inflacionárias maiores geram algum sentimento defensivo, após a alta do IGP-DI de outubro, depois de deflação, além da aceleração do IPCA na pesquisa Focus. No entanto, a safra de balanços internos e dados da China amenizam a queda vista mais cedo no Ibovespa, após alta de 1,37%, na sexta, aos 104.824,23 pontos.

O risco de judicialização da PEC dos precatórios deve manter o panorama apreensivo e volátil, na véspera da votação prevista, avalia o economista Silvio Campos Neto, da Tendências Consultoria. “O temor inflacionário segue elevado com a aceleração do IGP-DI, enquanto a Focus trouxe nova alta das expectativas para IPCA e Selic”, completa em relatório.

Na mínima diária, o índice Bovespa caiu para 104.182,49 pontos, enquanto a máxima foi aos 104.965,56 pontos. Segundo o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), em entrevista ao Broadcast Político, a votação da PEC dos Precatórios em segundo turno na Casa deve acontecer mesmo com a possibilidade de judicialização da PEC.

De acordo com Mauro Morelli, estrategista da Davos Investimentos, enquanto pendências como essas e em relação à definição dos candidatos a presidente da República não forem definidos, além de quais políticas cada um irá adotar, o cenário deve continuar de volatilidade.

“É preciso tirar isso da frente PEC, que traz volatilidade em meio ao risco político que não deve terminar enquanto não houver uma sinalização firme em relação ao debate eleitoral no sentido de quem serão os candidatos a presidente e quais políticas serão endereçadas”, avalia Morelli.

Enquanto isso, menciona Gustavo Taborda, assessor de investimentos da PHI Investimentos, o investidor fica no aguardo das divulgações dos indicadores desta semana no Brasil e nos Estados Unidos, que têm dados com força para mexer com os negócios. Ele cita especialmente o IPCA e o o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos EUA, ambos de outubro, e que saem na quarta-feira. “Gera uma expectativa direta quanto ao comportamento dos juros aqui e lá fora, e ainda em tem relação direta com a agenda de estímulos do Fed, banco central americano”, diz.

Além disso, outro ponto que fica no centro das atenções, destaca Taborda, é a safra de balanços, com mais de 100 empresas informando seus números do terceiro trimestre. Neste sentido, os dados podem injetar algum ânimo na Bolsa. “Se essa agenda seguir a sequência positiva da semana passada, pode ser o sopro de ânimo que o mercado precisa para ter um dia positivo”, avalia, ponderando, contudo, que o destaque da semana é a expectativa de votação da PEC dos Precatórios, depois de um primeiro turno bem apertado. “Isso pode deixar esse sopro de otimismo bem mais tímido”, acrescenta.

Após o fechamento da B3, o Banco do Brasil informará seus números, com o lucro líquido devendo ir a R$ 4,712 bilhões, o que significará alta de 35,32% em um ano, mas recuo 6,49% ante o segundo trimestre de 2021. Mais cedo, BB Seguridade informou seu lucro caiu 11% em um ano, mas subiu 29,5% na base trimestral. As ações do BB subiam 0,55% às 11h10, enquanto BB Seguridade caía 1,44%.

Além dessa expectativa, o superávit recorde da balança comercial chinesa em outubro e acima do esperado pode atenuar possível declínio do Ibovespa. O minério de ferro fechou com alta de 0,73%, a US$ 93,82 a tonelada, no porto chinês de Qingdao.

Já o petróleo sobe na faixa de 0,60% no exterior, o que pode também permitir valorização das ações da Petrobras e do Ibovespa. Contudo, novos ruídos políticos indicando ingerência na estatal podem atrapalhar e pesas nos papéis da companhia.

O presidente Jair Bolsonaro reafirmou a intenção de “fatiar” ou até “privatizar” a Petrobras. A declaração de Bolsonaro vem um dia depois de a companhia informar ao mercado que o governo negou a existência de qualquer recomendação de inclusão da privatização da empresa no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Uma outra questão que fica no radar é a conclusão da venda de participação da petroleira em companhias de energia por R$ 155,6 milhões.

Às 11h10 desta segunda, o Ibovespa subia 0,23%, aos 105.062,15 pontos, na máxima, enquanto no pré-mercado de Nova York a alta estava perto da estabilidade. Vale ON subia 1,73%, puxando os papéis de outras mineradoras e de siderúrgicas. Petrobras PN tinha elevação de 1,08% e ON de 0,94%.

Em tempo: A B3 tem novo horário a partir de hoje com o fim do horário de verão nos EUA. Os negócios serão estendidos até as 18h, enquanto o after market ficará suspenso, com exceção de dias de vencimento de opções sobre ações (normalmente na terceira sexta-feira de cada mês).