Ações

Green bonds: como funcionam e como investir nesses títulos?

4 Minutos de leitura
green bonds

Diante do esgotamento de recursos naturais e das alterações climáticas, há cada vez mais discussões sobre o fortalecimento da sustentabilidade. Como as empresas têm um papel importante nisso, muitas buscam soluções verdes — e os green bonds podem ajudar.

Eles são títulos de renda fixa que favorecem a captação de recursos para fins específicos em relação ao meio ambiente. Como é um tema em alta, podem ser boas oportunidades de investimentos, dependendo do seu perfil e dos seus interesses.

Para explorar essa possibilidade, saiba o que são os títulos verdes e veja como aportar o seu dinheiro!

O que são green bonds?

Os green bonds são títulos de dívidas que financiam projetos ligados à sustentabilidade. Também são chamados de títulos verdes, justamente porque focam em iniciativas que envolvem algum tipo de impacto quanto ao meio ambiente.

Quando a captação de recursos foca em diminuir ou mitigar os impactos quanto ao aquecimento global, são conhecidos como climate bonds.

A existência dos títulos desse tipo se dá pela necessidade crescente quanto ao tema. Governos, empresas e consumidores têm se preocupado com o futuro dos elementos naturais. Sendo assim, surgem as iniciativas que fomentam o aumento de cuidado.

Como eles funcionam?

Para saber melhor o que são os títulos, é essencial entender quais são as suas características principais. Basicamente, eles podem ser emitidos por empresas privadas, públicas ou de capital misto.

Podem aparecer em diversas alternativas do crédito privado — como Debêntures ou Certificados de Recebíveis. Sendo de renda fixa, a forma como ocorrerá a remuneração é conhecida no momento do aporte. Existem tanto rendimentos prefixados quanto modelos pós-fixados.

Além disso, é preciso ter atenção quanto à liquidez. Em geral, é necessário manter o título até a data do vencimento, quando ocorre o resgate já com o retorno acordado. Ou seja, eles geralmente não facilitam o resgate antecipado.

Como o dinheiro captado é utilizado?

Antes de investir em green bonds, é interessante saber como os recursos são utilizados. Basicamente, como mostramos, eles são direcionados para diversos projetos que implementem ou aumentem o nível de sustentabilidade da empresa em questão.

É possível que os valores sejam aplicados em planos de energia solar, por exemplo. Outras possibilidades são o tratamento e destinação adequada de resíduos, reciclagem de materiais, redução de desperdícios etc.

É muito comum que as companhias utilizem os recursos para adquirir ferramentas tecnológicas ou desenvolver projetos específicos. Um negócio que deseje adotar a energia solar em grande escala pode emitir os títulos para ter o total necessário para a instalação.

O capital também pode ser usado para reduzir os impactos do aquecimento global. É o caso de iniciativas para diminuir a emissão de gases que causam o efeito estufa.

Como é a presença dos green bonds no Brasil e no mundo?

Em todo mundo, há uma crescimento de emissão dos títulos de dívidas sustentáveis. A América do Norte e a Ásia aparecem em destaque. Em 2018, a América do Norte reunia 2400 climate bonds e 1999 green bonds.

Já a Ásia tinha 1519 climate bonds e 251 green bonds. A Europa contava com 1418 títulos ligados ao clima e 397 do tipo verde. No Brasil, as práticas são mais recentes.

O Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) emitiu os primeiros green bonds em 2017, com vencimento para 2024. Em 2018, a América Latina contava com quase 180 títulos verdes e climate bonds.

Tudo isso está de acordo com os acordos com foco ambiental firmados entre países. Logo, fazem parte dos esforços para conter impactos negativos e aumentar a sustentabilidade. Portanto, é possível esperar um crescimento nesse sentido.

Quais as vantagens da alternativa?

Agora que você já sabe o que é green bond, pode conhecer as vantagens do investimento verde. Em primeiro lugar, há o fato de o assunto ter progressiva relevância e estar em expansão. Então, cada vez mais empresas de todos os portes e atuações realizam projetos sustentáveis.

O cenário aumenta a oferta de investimentos, o que também amplia as chances de encontrar algo adequado ao seu perfil e aos seus objetivos. Por ser uma alternativa de renda fixa, outra vantagem é oferecer maior segurança que outros investimentos com volatilidade acentuada.

Ao mesmo tempo, tem um potencial de retorno mais alto do que opções tradicionais. Afinal, também trazem um pouco mais de riscos que outros investimentos da renda fixa. Sendo assim, pode servir para a diversificação de carteira.

Alguns green bonds também contam com incentivos fiscais. As Debêntures incentivadas, por exemplo, são isentas de Imposto de Renda. Com isso, é possível obter uma performance mais atraente, em termos de retorno.

Quanto ao prazo, é preciso saber que são alternativas pouco líquidas, voltadas para o médio ou longo prazo. Isso é interessante para construir patrimônio e complementar a sua estratégia de independência financeira. Sendo de renda fixa, pode oferecer mais segurança quanto ao futuro.

Investir em green bonds também é, claro, uma forma de alocar seus recursos com propósito. Além de obter rentabilidade, você apoia iniciativas de sustentabilidade. Como consequência, ajuda o planeta e favorece a proteção da natureza.

Como investir em green bonds?

Antes de investir, é preciso pensar se os títulos fazem sentido para o seu perfil e para as suas necessidades. Um investidor muito conservador, por exemplo, pode não estar disposto a correr um pouco mais de riscos em busca do retorno.

Também é crucial considerar a liquidez. Como o resgate só pode acontecer no vencimento e eles costumam ter média duração, é necessário pensar se isso está de acordo com o que você espera.

Se, após avaliar tais questões, você tiver interesse, é necessário abrir uma conta em uma instituição financeira que negocie os títulos.

Após conferir as informações pertinentes, basta transferir o valor para a conta da instituição e realizar o investimento. Os recursos, então, são aplicados e no momento do vencimento você realiza o resgate.

Como vimos, o investimento em green bonds é uma alternativa de renda fixa que direciona o dinheiro captado para projetos sustentáveis. Se ele estiver adequado a seus objetivos e interesses, é uma possibilidade para compor e diversificar a carteira!

Estas informações foram úteis para a sua tomada de decisão? Compartilhe o post em suas redes sociais e ajude os seus contatos a conhecerem o assunto!

104 posts

Sobre o autor
Thiago Goulart é o Editor da Vai Investir e do podcast Valor de Mercado. Adora praticar tênis, ler, escutar música e estar na presença de amigos e família. Graduado em Letras pela UFES e em Jornalismo pela PUC-SP, está se tornando também especialista em finanças com o MBA no tema pela PUC- RS. Com uma longa carreira em sala de aula, desenvolveu a habilidade e sensibilidade para conectar pessoas a conhecimentos. Hoje, aplica essa experiência de maneira mais específica para o mercado financeiro, por quase 3 anos sendo o principal responsável pelo desenvolvimento e curadoria de conteúdo para a Valor Investimentos e Vai Investir.
Artigos
Posts relacionados
Ações

Commodities e agronegócio: 8 empresas de destaque da bolsa brasileira

8 Minutos de leitura
Ações

Setor de tecnologia: um mercado em expansão no Brasil

10 Minutos de leitura
Ações

Entenda as ações small, mid e large caps

8 Minutos de leitura