Análise & Opinião

Bricolagem e Planejamento Financeiro, o que tem a ver?

2 Minutos de leitura

Assim como procrastinação, a palavra bricolagem nos soa estranha, mas possui um significado muito simples. Você já deve ter visto escrito em alguma fachada da Leroy Merlin, podendo ser até um praticante contumaz. Mas o que ela te a ver com um Planejamento Financeiro? Descubra neste artigo.

Segundo o dicionário Oxford Languages, bricolagem quer dizer: instalação ou montagem, de qualquer coisa, feito por pessoa não especializada.

O termo pode ser associado à expressão Do it yourself (faça você mesmo) tão difundida nos Estados Unidos e que vem ganhando terreno no Brasil com o encarecimento da mão de obra especializada.

Fazer uma pequena reforma em casa, cuidar do jardim, realizar alguns serviços de carpintaria são alguns dos exemplos mais comuns. Se der alguma coisa errada, o risco é bem pequeno, um cano furado ou, talvez, um dedo martelado.

No entanto, mais comum do que muitos possam imaginar, o que temos aos montes são pessoas tentando fazer “bricolagem” com a própria vida. Elas renunciam à assessoria de um profissional especializado e definem o seu futuro:

“Vou guardar R$ 1.000,00 por mês na Previdência”.

Pronto! Assim está traçado o planejamento do qual depende o seu futuro.

As pessoas estão vivendo mais e essa é uma excelente notícia. Contudo, aumenta-se a necessidade de um planejamento mais acurado e bem feito.

Antes, eu guardava dinheiro por 35 anos, parava de trabalhar aos 60 e vivia até os 72. Agora, eu guardo os mesmos 35 anos, mas minha expectativa de vida subiu para 90, quem sabe 100. Assim, serão 30 ou 40 anos dependendo do que eu planejei e, principalmente, do que eu consegui executar.

E não existe PROCON para um planejamento mal feito. Quando chegar a hora de se aposentar e descobrir que o dinheiro mal dá para pagar os remédios e o plano de saúde, é impossível reclamar e trocar por um novo.

A solução é fazer parte da triste estatística, onde 99% dos brasileiros não consegue sobreviver com recursos próprios na aposentadoria.

Um Planejamento, com P maiúsculo e bem feito, deve ser construído de trás para frente. Ou seja, parte-se da sua expectativa de renda durante a aposentadoria para chegar no valor que você precisa poupar até a data que decidir parar de trabalhar. E, por fim, definir o valor a ser poupado e a qual taxa esse capital deve ser remunerado.

Não é um processo simples de ser feito, nem tampouco com baixo risco de dar errado se mal planejado. Estamos falando do seu futuro.

Não “bricole” com isso!

Posts relacionados
Análise & Opinião

Cash Back Federal

2 Minutos de leitura
Por Pablo Alencar* Vivemos em um país onde o trade off em relação aos impostos e qualidade do serviço público passam longe da satisfação…
Análise & Opinião

Autofinanciamento: a nova roupagem do consórcio

3 Minutos de leitura
Por Mariana Ferrari* Você já ouviu falar em autofinanciamento? Certamente em financiamento bancário sim, né? Sem contar no longo empréstimo a perder…
Análise & Opinião

Comprar imóvel ou alugar? Descubra qual a melhor opção para você!

4 Minutos de leitura
Para muitas pessoas, o mercado imobiliário pode ser um espaço de vastas oportunidades. Além disso, o sonho da casa própria é muito…