FinançasNotícias

Moedas: índice DXY do dólar tem leve alta, em dia de dados positivos nos EUA

1 Minutos de leitura
O índice DXY, que mede o dólar ante uma cesta de moedas fortes, avançou nesta quinta-feira, 30, em sessão marcada pelo baixo giro de negociações, com as folgas de fim de ano. A divisa foi apoiada por alguns indicadores positivos dos Estados Unidos hoje, embora em quadro sem euforia, diante de riscos da covid-19 à atividade econômica.

No fim da tarde em Nova York, o dólar subia a 115,06 ienes, o euro recuava a US$ 1,1324 e a libra tinha alta a US$ 1,3504. O DXY subiu 0,04%, a 95,968 pontos.

Na agenda de indicadores, os novos pedidos de auxílio-desemprego recuaram 8 mil na semana, a 198 mil, ante previsão de 205 mil dos analistas. Já o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do Instituto para Gestão de Oferta de Chicago (ISM) subiu a 63,1 em dezembro, ante expectativa de 62,0.

Por outro lado, a covid-19 seguia como preocupação importante, com novo recorde diário de casos nos EUA. O Citi avalia em relatório que os mercado precificaram apenas em parte os piores cenários para a economia com a variante Ômicron. O banco viu alguma queda em dados de alta frequência de atividade, mas adverte que há distorções nessa época, o que torna difícil interpretar alguns desses dados.

Entre outras em foco, a lira turca voltava a cair, pressionada com o quadro de alta inflação e pressão do presidente Recep Tayyip Erdogan para o Banco Central cortar mais os juros. No horário citado, o dólar subia a 13,1471 liras.