EconomiaNotícias

Turquia: BC reforça compromisso com política monetária em meio à crise cambial

1 Minutos de leitura
O Banco Central da Turquia (CBRT, na sigla em inglês) reafirmou nesta quarta-feira o comprometimento com os atuais instrumentos de política monetária, em meio ao clima de desconfiança nos mercados em relação à independência da instituição.

Em relatório anual, o BC turco informou que manterá a meta de inflação em 5% no médio prazo em 2022, embora os índices de preços tenham superado a taxa anual de 20%. Segundo o documento, a intenção é implementar medidas que levem as métricas inflacionárias ao objetivo.

O banco central, no entanto, retirou as menções ao aperto monetário que constavam no relatório de 2021. Sob pressão do presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, a entidade contrariou o consenso acadêmico e cortou juros nas últimas duas reuniões, apesar da escalada da inflação.

O cenário desencadeou uma onda de vendas da lira turca, que tombou na comparação com o dólar e levou o governo a adotar medidas para estabilizar o câmbio. No relatório, o CBRT disse que pretende priorizar depósitos de lira no ano que vem e anunciou que apoiará a conversão de poupanças em ouro para a moeda local.

A instituição reforçou compromisso com o câmbio flutuante e explicou que as taxas continuarão determinadas pelas forças de mercado. “O CBRT não tem uma meta de taxa de câmbio nominal ou real. O CBRT não conduzirá câmbio transações de compra ou venda de moeda estrangeira para determinar o nível ou direção das taxas de câmbio”, diz o texto.

Por volta das 7h55 (de Brasília), o dólar avança a 12,3703 liras turcas, em alta de cerca de 4% ante à cotação do fim da tarde de terça-feira.