FinançasNotícias

Bolsas de NY fecham quase estáveis com impacto dos juros no setor de tecnologia

2 Minutos de leitura
As bolsas de Nova York até ensaiaram um movimento de alta firme na abertura do pregão desta segunda-feira, 15, mas perderam fôlego com uma disparada dos juros longos dos Treasuries, os títulos da dívida pública americana, que impactou ações do setor de tecnologia. O avanço dos rendimentos ocorreu em meio à continuidade dos temores de inflação nos mercados globais.

O Dow Jones encerrou em baixa de 0,04%, aos 36.087,45 pontos, o S&P 500 ficou estável, em 4682,80 pontos, e o Nasdaq caiu 0,04%, aos 15.853,85 pontos.

O setor de tecnologia chegou a liderar os ganhos no S&P 500, mas terminou a sessão em baixa de 0,11%. As ações da Microsoft cederam 0,19% e as da Tesla caíram 1,94%. A fabricante de veículos elétricos foi novamente afetada por publicações de seu CEO, Elon Musk, nas redes sociais.

No fim de semana, o executivo “discutiu” no Twitter com o senador Bernie Sanders. O democrata havia defendido que os “extremamente ricos” pagassem uma parcela justa de imposto. “Quer que eu venda mais ações, Bernie? Basta dizer…”, foi uma das respostas de Musk do parlamentar. Na semana passada, o dono da Tesla decidiu, por meio de uma enquete na rede social, vender algumas das ações que detinha da empresa.

“Os investidores estão preocupados que os gargalos de oferta causados pela pandemia, que estão por trás da alta nos preços ao consumidor, levem o Fed a subir juros no curto prazo, correndo o risco de interromper a recuperação”, afirma o analista Ian Lyngen, do BMO Capital Markets.

“Em última análise, tudo se resume aos riscos de inflação e taxa de juros e levará meses até termos uma imagem mais clara disso”, diz, na mesma linha, o analista da Oanda Edward Moya.

Divulgado hoje, o índice de atividade industrial Empire State, que mede as condições da manufatura no Estado de Nova York, subiu de 19,8 em outubro para 30,9 em novembro, acima do previsto.

O mercado também aguardava uma reunião virtual entre o presidente americano, Joe Biden, e o da China, Xi Jinping, que está marcada para hoje à noite (pelo horário de Brasília). A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, afirmou que, com a aprovação de um pacote trilionário de investimentos em infraestrutura nos EUA, o democrata entra no diálogo em uma “posição forte”.

Amanhã, o foco do mercado estará nos dados de vendas no varejo e produção industrial dos EUA.