Ações Bolsa de Valores

Ibovespa: você sabe como investir no principal índice da bolsa?

4 Minutos de leitura

Você já pensou em investir no índice Ibovespa? É comum que investidores iniciantes enxerguem o Ibovespa como uma modalidade de investimento na bolsa de valores. Mas não é bem assim.

Existem inúmeras oportunidades para investimentos na renda variável – especialmente quando o assunto são ações. Entretanto, é fundamental entender melhor este ambiente, a relação do Ibovespa com os investimentos e de que forma você pode começar a investir e usufruir de eventuais avanços deste índice.

Quer saber mais sobre o assunto? Então continue a leitura para descobrir como se expor ao principal indicador da bolsa brasileira na hora de investir.

O que é o Ibovespa?

Antes de tudo, é preciso ter em mente que, na prática, não é possível investir no Ibovespa. Ou seja, o IBOV – como é conhecido entre os investidores –  não se trata de uma modalidade de investimento ou algo parecido.

Na verdade, trata-se de um índice de referência, composto por uma carteira teórica de ações composta pelas empresas mais negociadas no mercado brasileiro. O nome “Ibovespa”, na verdade, faz referência ao Índice da Bolsa de Valores de São Paulo (hoje chamada de B3).

Pode ser considerado o principal indicador do mercado de renda variável brasileiro, o Ibovespa é visto como um termômetro do mercado de ações no Brasil. E, por isso, é bastante confundido como um investimento – especialmente por investidores iniciantes.

É importante deixar claro, entretanto, que esse não é o único índice que existe em nosso mercado. Existem muitos outros – no Brasil e no mundo, que são utilizados como termômetro do mercado financeiro e benchmark da renda variável.

Mas, por mais que não seja possível investir no Ibovespa, qualquer investidor pode se expor às movimentações do IBOV – buscando uma rentabilidade similar àquela registrada pelo indicador.

Por que investir em ações é diferente de investir no Ibovespa?

Até aqui você entendeu que o Ibovespa pode ser utilizado para avaliar o desempenho do mercado de ações e para comparar com a rentabilidade de outros mercados. Contudo, como você já sabe, investir no Ibovespa não é o mesmo que investir em ações.

Investir em ações envolve definir estratégias para aproveitar as oportunidades do mercado e encontrar os momentos certos para fazer – ou se desfazer – de seus ativos na Bolsa de Valores, seja para investimento no longo prazo ou especulação. O índice, por outro lado, serve apenas para ajudar os investidores a avaliar o desempenho do mercado como um todo.

Contudo, você deve saber que, ao mesmo tempo em que há investidores que preferem fazer suas próprias análises de ações, outros optam por alternativas mais simples. Por exemplo, se expondo a determinados índices ou mesmo investindo por meio de fundos. Nas duas últimas situações, investidor não precisa escolher em quais ativos aportar.

É exatamente por esse motivo que muitos investidores acabam fazendo uma grande confusão – acreditando que podem investir no Ibovespa para se expor ao mercado de renda variável.

Para desfazer quaisquer confusões relacionadas a essa questão, vale a pena entender um pouco mais sobre como funciona o índice Ibovespa antes de descobrir como aproveitar a rentabilidade do indicador na hora de investir.

Como funciona o índice Ibovespa?

Como já explicamos, o índice Ibovespa é composto pelas ações das empresas mais líquidas do mercado brasileiro. E sua composição costuma sofrer alterações a cada quatro meses. Você pode conferir a composição atual do índice clicando aqui.

Devido a essa composição estratégica, as oscilações do Ibovespa acabam refletindo o desempenho do mercado como um todo. É por esse motivo que ele é visto como um importante indicador para quem deseja investir na bolsa de valores.

E como aproveitar as oportunidades que o IBOV pode lhe oferecer? Descubra a seguir!

Como investir no índice Ibovespa?

Investir na bolsa brasileira e se expor ao seu principal índice é mais simples do que você imagina. Existem oportunidades tanto para aqueles que desejam investir para longo prazo quanto para investidores com perfil mais especulador – que buscam oportunidades em operações mais curtas.

Confira cada uma delas:

Contratos futuros

No mercado futuro, o investidor pode negociar contratos com uma data de vencimento futura – visando a especulação. Assim, é possível se expor ao comportamento do IBOV buscando ganhar dinheiro ou proteger seus investimentos (hedge) a partir das movimentações do índice.

No mercado futuro o código de negociação dos contratos futuros de índice é dado pelas letras “IND”. A variação é dada em pontos.

Mini índice do Ibovespa

O mini índice do Ibovespa é outra opção para fins de especulação que segue a movimentação do principal índice da bolsa. Os chamados “minicontratos” do Ibovespa também são contratos futuros, mas tem como objetivo atender a pequenos investidores.

Logo, os aportes e os lotes mínimos para operações podem ser menores que os contratos futuros cheios. O código de negociação que representa o Mini Índice Ibovespa é dado pelas letras “WIN”.

ETFs

Essa alternativa pode ser uma opção para quem objetiva o longo prazo e deseja se expor ao índice Ibovespa. Os ETFs são fundos de índices negociados na bolsa de valores. Eles utilizam um índice de referência para espelhar sua rentabilidade – entre eles, o IBOV.

Um dos ETFs que se baseia no índice Ibovespa é o BOVA11. Ou seja, é composto por ações de empresas que representam mais de 80% do volume de negócios realizados na bolsa brasileira.

A quantidade mínima a ser negociada na maioria dos ETFs disponíveis no Brasil é de, pelo menos, 10 cotas. E pode ser uma alternativa para investidores que não tenham experiência em avaliar ações ou que não dispõem de tempo para compor uma carteira a partir da compra de cada ativo.

Fundos indexados ao Ibovespa

Se você sempre quis saber como investir no Ibovespa, saiba que também pode se expor às movimentações deste indicador a partir de aportes em fundos de ações.

 

Isso porque existem fundos de ações que oferecem ao investidor exposição ao IBOV sem que seja necessário comprar cada ação que o compõe, individualmente. Contudo, assim como também ocorre com os ETFs, é preciso se atentar aos custos de taxa de administração cobrados.

 

Concluindo

Neste post você descobriu que não há como investir no Ibovespa. Entretanto, é possível investir e especular a partir de alternativas do mercado que replicam as movimentações do principal indicador da renda variável brasileira.

Na hora de fazer suas escolhas, no entanto, não deixe de considerar seu perfil de investidor e objetivos. E, se precisar de ajuda, vale a pena contar com o apoio de uma assessoria de investimentos!

Gostou de aprender sobre esse assunto? Que tal entender mais sobre investimento em outros países? Confira agora como iniciar seus investimentos no exterior!

Posts relacionados
Ações Bolsa de Valores

Day trade: Saiba como funciona esta operação na bolsa

8 Minutos de leitura
Fazer operações na bolsa de valores tem se tornado um hábito bastante comum entre muitos brasileiros. Entre as diversas modalidades de operação…
Educação FinanceiraAções Bolsa de Valores

5 motivos para incentivar jovens investidores a entrar na bolsa

4 Minutos de leitura
Um conselho para os jovens investidores: erre o quanto antes! Esta parece ser uma advertência intransigente, mas não é. O melhor momento…
Ações Bolsa de Valores

Leilão da bolsa: você sabe como funciona?

5 Minutos de leitura
Em seu regulamento, a bolsa de valores prevê a existência de alguns recursos para evitar distorções nos preços de ativos em situações…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *