Aprenda a Investir

Inteligência financeira para o ano novo: assuma o controle das suas finanças!

8 Minutos de leitura
educação financeira
educação financeira

Mais do que manter as contas em dia, a inteligência financeira trata da sua capacidade de gerenciar seus recursos de modo racional, prudente e maduro. Como toda virtude, a inteligência financeira também se adquire pela prática e pelo empenho. Além da força de vontade, é preciso ter orientação e estudo.    

Ter controle dos próprios gastos e deixar as finanças em dia é o desejo da maioria das pessoas. Este desejo costuma aparecer nas metas e resoluções de ano novo de muitos. E não é por menos, afinal, ter as finanças em ordem é um ótimo primeiro passo para uma vida mais tranquila. Além do mais, com inteligência financeira podemos atingir outras metas e realizar ainda outros sonhos.   

Se melhorar sua educação financeira é um dos seus planos para o ano novo, prossiga com a leitura deste material e veja o que você pode fazer para adquirir inteligência financeira.  

  

O que é a inteligência financeira?   

A inteligência financeira é a capacidade de tirar o maior proveito possível dos recursos disponíveis, sejam eles fartos ou modestos, fazendo-os render mais. Em outras palavras, consiste na aprendizagem e na aquisição de conhecimentos sobre a administração dos seus recursos financeiros.    

Tendo muitos recursos ou tendo poucos recursos, sempre se pode aproveitá-los melhor se pudermos desenvolver a inteligência financeira. Logo, educar-se financeiramente é uma prática que cabe a todos, e não está reservada apenas aos mais ricos.    

Pessoas inteligentes financeiramente costumam possuir cestas características bem desenvolvidas. Mas isto não significa que elas tenham nascido assim. A habilidade de poupar, a capacidade de reconhecer oportunidade, o uso da disciplina e do planejamento são todas qualidades possíveis de se adquirir ao longo da vida. Essas características combinadas nos permitem alcançar os objetivos financeiros que nos propomos.   

Além disso, a inteligência financeira também envolve a precaução. Sabemos que, mesmo com todo o estudo e preparo do mundo, nem tudo se pode controlar ou prever. Por isso, uma estratégia precavida – porém sem melindre – é parte da performance de uma pessoa inteligente financeiramente.   

Com uma estratégia inteligente, podemos nos preparar melhor para os imprevistos que sempre surgem. Afinal, estamos todos expostos ao acaso, como uma crise econômica ou uma doença na família.   

Dessa forma, a inteligência financeira não deve ser vista como um fim em si mesmo. Mas sim como uma habilidade essencial para que o dinheiro seja um instrumento para sua felicidade e tranquilidade, bem como de seus familiares.  

 Com estudo e prática, aquela sensação ruim de que os seus recursos estão escorrendo pelas suas mãos acabam. O dinheiro ganha um sentido novo e passa ser um instrumento de conquista, e não uma finalidade. 

  

Como inteligência financeira e a educação financeira se complementam?   

Obviamente, cada pessoa tem um nível próprio de inteligência financeira. Contudo, com estudo e treinamento, é possível se aperfeiçoar neste aspecto. É por meio das lições em educação financeira que afiamos a nossa inteligência no gerenciamento dos nossos recursos.    

Dessa forma, uma pessoa com educação financeira sabe quais são os melhores caminhos para economizar, guardar e investir seu dinheiro. Faz parte deste conhecimento, também, a necessidade de conhecer quais são os riscos de determinadas opções. Ademais, entendem a importância de pensar em estratégias para minimizar estes riscos    

Infelizmente, o nível de educação financeira entre os brasileiros não está entre os mais altos. Prova disso são alguns números não muito animadores. De acordo com dados da Boa Vista, 7 em cada 10 pessoas tem sua renda comprometida por dívidas.  

Ainda com base na mesma pesquisa, o cartão de crédito é o principal vilão do bolso do brasileiro. Ele é o responsável pelo endividamento de 78,9% dos endividados. Atrás do cartão de crédito estão os crediários de loja, com 15,5%, e o financiamento de carros, com 9,5%.   

A inteligência financeira é uma habilidade prática que se aperfeiçoa com a educação financeira. Por isso a importância de um estudo constante sobre negócios, gestão de recursos, autodomínio e mercado financeiro. E, antes de tudo, a inteligência financeira deve começar pelo trato do orçamento doméstico.    

   

Como assumir o controle das suas finanças?   

Agora que você viu como é importante desenvolver sua inteligência financeira para que o dinheiro trabalhe a seu favor, que tal anotar algumas dicas bastante eficientes para assumir de vez o controle das suas finanças nesse ano novo? Acompanhe.   

Gaste menos do que ganha   

Gastar menor do que ganha é a regra de ouro de educação financeira e princípio básico para quem quer manter as contas em ordem. Na maioria dos casos, a desorganização nas finanças surge quando o tamanho das despesas é maior do que a renda obtida.   

Em outubro de 2019, o número de brasileiros endividados atingiu 64,7%, de acordo com dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo. Desse montante, uma fatia de 24,9% está inadimplente, ou seja, já está com as contas em atraso e outros 10,1% assumem não conseguir quitar suas dívidas.   

Para que este não seja o seu caso, a maneira mais simples é anotar todos os seus gastos e receitas por determinado período. Faça isso por tempo suficiente para traçar um padrão de movimentação do seu dinheiro. Isso pode ser feito tanto manualmente, utilizando planilhas, ou por meio de aplicativos de controle financeiro.    

Com esses números em mãos, é possível perceber para onde seu dinheiro está indo e quanto está sobrando (ou faltando) no final do mês. Se a situação estiver crítica, se esforce para cortar gastos supérfluos.   

Se livre das dívidas   

Se as dívidas já atormentam você, se livrar delas deve ser sua prioridade. Para isso, é importante ter uma estratégia definida. Liste todos os seus débitos e priorize aqueles com os juros mais altos, como dívidas com cartão de crédito ou cheque especial.   

Se for o caso, procure a empresa credora em busca de uma renegociação ou troque as dívidas mais caras por outras com juros menores. Isto é possível contratando um empréstimo para quitar os débitos em atraso.   

Tenha metas   

Estipule metas para o seu planejamento financeiro. Tal cuidado ajuda a dar sentido para todos os seus esforços e ações envolvendo o dinheiro. Para facilitar, você pode dividir as metas em curto, médio e longo prazo.   

Além disso, elas devem ser mensuráveis, palpáveis e objetivas. Por exemplo, “ficar rico” não deve ser listado como uma meta, pois não há nada de objetivo nesta afirmação. Ela não diz nada de concreto e torna sua lista demasiadamente abstrata. Mas “adquirir um imóvel no bairro X de valor Y”, no entanto, já traz mais clareza e amplia sua possibilidade de realização.    

Crie estratégias para atingir suas metas   

Não basta uma lista com suas metas, elas precisam de um plano de ação claro e possível para que se tornem realidade. Com seu orçamento organizado, você já pode começar a traçar as ações necessárias para atingir seus objetivos.    

Um plano de ação sempre envolverá uma execução em etapas. Por isso, planeje bem e com cuidado seus próximos passos. Para tanto, dedique um tempo de estudo em educação financeira. Você também pode contar com uma assessoria de investimentos especializada.   

Uma assessoria de investimentos é um serviço voltado para orientar os clientes a respeito dos melhores investimentos disponíveis no mercado financeiro. Isso é feito com base na avaliação do seu perfil pessoal, das suas necessidades e dos seus objetivos.   

Mantenha uma reserva financeira   

A manutenção de uma reserva financeira é outro aspecto essencial para quem quer manter as finanças sob controle. Por isso, todo mês, separe uma parte dos seus rendimentos para a formação dessa reserva.   

O ideal é que, como o passar do tempo, ela seja suficiente para cobrir suas despesas básicas por alguns meses, caso sua principal fonte de renda seja comprometida.   

Além disso, uma reserva financeira pode ter o efeito psicológico de um bom seguro de vida. Isto é, permite que você se sinta mais preparado e seguro diante dos imprevistos. Se seu estilo de investimentos for mais agressivo e com maiores margens de risco, uma boa reserva financeira irá melhorar suas noites de sono.   

Aprenda com os melhores    

Não queira inventar a roda. Felizmente, não faltam homens e mulheres bem sucedidos que queiram ensinar o caminho das pedras aos demais. Avance seus estudos com bons livros, aulas, cursos e toda sorte de bons conteúdos que encontrar. Quanto mais conhecimento, maior o seu poder de ação.    

Para te ajudar, separamos uma lista de 5 livros populares que fizeram a cabeça dos investidores de maior sucesso no Brasil.    

  1. Quem Pensa Enriquece – Napoleon Hill   
  2. Cartas a um Jovem Investidor – Gustavo Cerbasi   
  3.  A Bola de Neve, Warren Buffet e o Negócio da Vida – Alice Schroeder   
  4. Os Segredos da Mente Milionária – T. Harv Eker   
  5. Pai Rico Pai Pobre – Robert Kiyosaki 

 
Conheça a si mesmo   

Muitos iniciantes ignoram seu próprio perfil e temperamento na hora de investir. Pessoas de perfil mais conservador, por falta de autoconhecimento, acabam investindo em negócios mais agressivos. O desajuste entre o seu perfil pessoal e o tipo de investimento que você escolhe pode ser um fator muito estressante.    

Observe como você reage aos imprevistos e também com que padrão faz novas escolhas. É fundamental ter em mente que o seu perfil pessoal precisa ser compatível com seus negócios. Além disso, o autoconhecimento te ajudará a evitar decisões tomadas por impulso e irrefletidas. Não existe inteligência financeira sem uma boa dose de autoconhecimento.  

 

Conheça as melhores formas de investimento   

Por fim, procure conhecer as melhores formas de investimento para fazer seu patrimônio crescer. No mercado estão disponíveis opções de aplicação para os mais diversos perfis de investidor, renda e objetivos. Com isso, fica mais fácil encontrar o investimento mais alinhados com suas necessidades e que contribuirá efetivamente para sua prosperidade financeira.   

Inteligência e educação financeira são dois aspectos que devem ser trabalhados constantemente por nós. Então, aproveite o começo do ano para reorganizar esse fator tão importante da sua vida.   

Concluindo   

Você já entendeu que é a educação financeira que amplia e afia a sua inteligência para os negócios e para o controle do orçamento doméstico. Fazer os seus recursos renderem mais recursos é o objetivo final de toda estratégia financeira. Para tanto, é preciso ter paciência e buscar conhecimento, tanto em relação aos investimentos quanto em relação a si mesmo.   

 Inteligência financeira requer maturidade, pensamento estratégico e autodomínio. Quem deseja se tornar investidor, mas não consegue colocar em prática os princípios que citamos, pode se ver sempre tendo que adiar seus planos de prosperidade para o próximo ano.   

Mas quem consegue poupar com diligência, autocontrole e boa consciência, se aproxima cada vez mais dos seus sonhos. A inteligência financeira é uma habilidade que deve ser adquirida e treinada. Apenas poupar dinheiro não é suficiente, como você já deve saber. Saber onde investir e como montar a sua carteira é que exige mais conhecimento.   

 Mas não se preocupe, é pra isso que estamos aqui. A Valor Investimentos tem a melhor equipe de experts prontos para trabalhar com você e te levar à realização das suas metas. Por aqui, você também encontrará artigos e dicas de finanças para aumentar seus conhecimentos em educação financeira.    

 

104 posts

Sobre o autor
Thiago Goulart é o Editor da Vai Investir e do podcast Valor de Mercado. Adora praticar tênis, ler, escutar música e estar na presença de amigos e família. Graduado em Letras pela UFES e em Jornalismo pela PUC-SP, está se tornando também especialista em finanças com o MBA no tema pela PUC- RS. Com uma longa carreira em sala de aula, desenvolveu a habilidade e sensibilidade para conectar pessoas a conhecimentos. Hoje, aplica essa experiência de maneira mais específica para o mercado financeiro, por quase 3 anos sendo o principal responsável pelo desenvolvimento e curadoria de conteúdo para a Valor Investimentos e Vai Investir.
Artigos
Posts relacionados
Aprenda a InvestirAções

ESG: o que é e por que investidores precisam ficar de olho nele?

5 Minutos de leitura
Aprenda a Investir

Onde investir 5 mil reais?

8 Minutos de leitura
Aprenda a Investir

O que os esportes radicais têm em comum com os investimentos?

6 Minutos de leitura