FinançasNotícias

Moedas Globais: dólar se enfraquece ante rivais, com inflação nos EUA e Fed

2 Minutos de leitura
Em sessão marcada pela volatilidade, o dólar se enfraqueceu na comparação com as principais moedas do mundo nesta terça-feira, após a divulgação de dado de inflação ao produtor nos Estados Unidos ainda forte, mas menos acentuado que o esperado. Participantes do mercado de câmbio monitoram também avaliações de dirigentes de bancos centrais e indicadores de economias desenvolvidas.

O índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) americano subiu 0,6% em outubro ante setembro, segundo informou o Departamento do Trabalho dos EUA hoje. O núcleo do PPI, que exclui alimentos e energia, avançou 0,4% no período, abaixo do que analistas projetavam.

O indicador, embora ainda sugira um quadro inflacionário firme, mostrou evidências de uma incipiente desaceleração nos preços, o que alivia a pressão sobre o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) pelo aperto monetário. O foco agora ficará na leitura de outubro da inflação ao consumidor nos EUA, que será divulgada amanhã. “A postura paciente do Fed com relação ao aumento das taxas de juros desacelerou a mobilidade ascendente do dólar”, destaca o analista Joe Manimbo, do Western Union.

A presidente da distrital do Fed em São Francisco, Mary Daly, alertou hoje para o risco de aumentar juros prematuramente e refrear a recuperação econômica. Mais hawkish, o líder da regional de St. Louis, James Bullard, afirmou esperar duas elevações no ano que vem.

Nesse cenário, o índice DXY, que mede a variação do dólar ante uma cesta de seis rivais fortes, fechou em baixa de 0,09%, a 93,955 pontos. Perto do fechamento das bolsas de Nova York, a divisa americana cedia a 112,89 ienes, enquanto libra avançava a US$ 1,3560 e euro, a US$ 1,1596.

Segundo o economista Jonathan Petersen, da Capital Economics, desde o início de outubro, a moeda japonesa teve o pior desempenho entre uma cesta das 10 mais competitivas do mundo. Para ele, a tendência de desvalorização deve persistir, uma vez que o iene fica vulnerável ao aumento dos juros dos Treasuries.

Na Europa, operadores repercutiram dados econômicos da Alemanha. O índice de expectativas econômicas alemãs subiu de 23,3 pontos em outubro para 31,7 pontos em novembro, segundo uma pesquisa divulgada hoje pelo instituto alemão ZEW. Por outro lado, as exportações no país voltaram a recuar em setembro.

Na comparação com moedas emergentes, o dólar demonstrou comportamento misto, caindo a US$ 70,768 rublos russos, mas a 15,0597 rands sul-africanos.