Análise & OpiniãoRenda Fixa

A importância da renda fixa em um planejamento financeiro

1 Minutos de leitura
coluna A importância da renda fixa em um planejamento financeiro

A renda fixa é um tipo de investimento fundamental em um planejamento financeiro, na medida em que existem diversas opções que podem se adaptar a diferentes cenários e necessidades do investidor. Ela é, também, o tipo de aplicação financeira mais conhecida pelo brasileiro. Muitos não sabem, mas já investem nela. A poupança, por exemplo, é um tipo de aplicação em renda fixa.

As aplicações em renda fixa podem compor um bom planejamento financeiro como a reserva de emergência ou a reserva de oportunidades. Além disso, pode ser também visto como um investimento de longo prazo com garantia de juro real (rentabilidade acima da inflação), geração de renda extra e, ainda, pode ser utilizada para alavancagem em uma compra de imóvel financiado.

Para ilustrar, a renda fixa como reserva de emergência ou oportunidades, normalmente é alocada em ativos com a remuneração atrelada ao CDI ou à Selic (taxa de juros), com possibilidade de resgate rápido e com boa margem de segurança.

Já os ativos com garantia de juro real são aqueles em que a rentabilidade pactuada tem em seu indexador um índice de inflação (o mais comum é o IPCA) e mais uma taxa de juros fixa. Exemplo: IPCA + 5% ao ano. Isso significa que o investidor, além de garantir a correção de sua aplicação financeira pelo índice IPCA, terá mais um adicional de 5% de rentabilidade ao ano.

A geração de renda extra também é algo muito procurado atualmente pelos investidores, principalmente por aqueles que já estão próximos à aposentadoria e desejam complementar a sua renda. Nesse caso, existem ativos de renda fixa que pagam seus juros mensalmente, trimestralmente, ou, como é mais comum, semestralmente.

Por fim, temos o caso de uso da renda fixa para alavancagem na compra de imóvel. Nessa situação, a pessoa pode comprar um imóvel com um financiamento imobiliário a um custo de aproximadamente 8% ao ano e aplicar o valor correspondente em ativos de renda fixa com rentabilidade superior a esse custo do financiamento.

Há muitas possibilidades e variantes para compor seus investimentos em produtos cada vez mais interessantes em renda fixa. Aproveite as dicas!

4 posts

Sobre o autor
Flávio Pereira Mattedi possui MBA em Finanças pela Fundação Getúlio Vargas (FGV - Mmurad), economista formado na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Atua no mercado financeiro há 14 anos e, atualmente, é responsável pela área de Produtos da Valor Investimentos, empresa na qual é sócio desde 2011.
Artigos
Posts relacionados
Análise & Opinião

Como se planejar para o Lollapalooza 2022

3 Minutos de leitura
Análise & OpiniãoRenda Fixa

Renda complementar com aplicações em renda fixa

1 Minutos de leitura
Análise & OpiniãoAprenda a Investir

Como economizar na compra de materiais escolares

3 Minutos de leitura
×
EconomiaRenda Fixa

Renda fixa e a Selic: entenda o impacto da taxa de juros nos investimentos