Análise e Opinião

Análise e Opinião

Independência financeira: 7 passos para você alcançar a sua.

Por
Leandro Ferreira

Um dos maiores sonhos do brasileiro é chegar ao final da sua vida produtiva e se aposentar de uma forma tranquila e digna com uma independência financeira constituida, porém segundo pesquisas realizadas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) apenas 4% dos aposentados no Brasil são independentes financeiramente, ou seja, não precisam continuar trabalhando após a aposentadoria, não dependem de ajuda de parentes, amigos ou doações. Isso significa que quase a totalidade da população brasileira depende da geração seguinte (filhos e netos) para manter o seu padrão de vida, ou às vezes, apensas para sobreviver.

O perfil do poupador brasileiro demonstra que não temos cultura de pensar no longo prazo ainda que segundo em pesquisa realizada pela ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) no Raio X do investidor, 66% das pessoas se preocupem em como se sustentarão nessa fase da vida, quase metade (47%) espera contar com os recursos da previdência social.

Na outra ponta, 28% pretendem continuar no mercado de trabalho, enquanto 2% acreditam que terão apoio dos filhos ou da família. Apenas dois em cada dez brasileiros (21%) afirmaram que estão se planejando de uma ou mais formas para a velhice: 10% pretendem utilizar o dinheiro de aplicações financeiras, 6% vão contar com o retorno de um plano de previdência privada, 4% receberão aluguéis de imóveis que possuem e 1% diz ter economias guardadas. Você muito provavelmente conhece alguém que se aposentou e precisou continuar trabalhando para manter o seu padrão de vida, pois o valor da aposentadoria não seria suficiente para pagar suas despesas mensais.

E você sabe qual é o seu número mágico para conquistar a sua independência financeira?

Permanece comigo nesse artigo que até o final você vai descobrir como calcular o valor que precisa para sua independência financeira e o que fazer para alcança-la. Primeiramente vamos diferenciar independência financeira de liberdade financeira Liberdade financeira é quando a sua renda mensal é suficiente para manter o seu padrão de vida, pagar suas contas em dia, investir com regularidade e ainda ter dinheiro para viagens, restaurantes diferentes e seus lazeres do dia a dia.

independência financeira está um pouco além da liberdade, pois caso você não queira mais trabalhar, a rentabilidade do seu patrimônio acumulado (investimentos financeiros, aluguel recebido com imóveis e outras receitas) é o suficiente para manter o seu padrão de vida, pagando todas as suas despesas mensais para o resto de sua vida.

O caminho para a independência financeira não é simples muito menos rápido, por isso você deve traçar estratégias e metas para chegar lá. Você já parou para pensar como você estará financeiramente quando não puder ou não quiser mais trabalhar? Hoje alguém que se aposenta aos 65 anos deve se preocupar em se sustentar por mais 15, 20 ou mesmo 30 anos.

Como calcular a independência financeira?

Cada pessoa precisará de um montante de recursos diferente para atingir a liberdade financeira, dependendo do padrão de vida de cada um. Por isso, é fundamental entender como calcular o valor para a independência financeira. Primeiro passo você deve mapear seus gastos mensais (lembre-se de colocar todas as suas despesas), multiplique por 12 meses e dívida pelos juros reais de seu investimento. O total dessa conta é o valor que você deve alcançar para ter independência financeira. Exemplo:

Você tem gastos mensais no valor de R$ 9.000,00
12X 9.000= 108.000
Em 1 ano o valor é de R$ 108.000,00
Juros reais é quanto de rendimento você tem acima da inflação, de uma forma conservadora hoje um investidor consegue em média 4% de rendimento acima da inflação.
108.000/4% = 2.700.000
Ou seja, com despesas mensais de R$ 9.000,00 você teria que ter aproximadamente R$ 2.7000.000,00 para se considerar independente financeiramente e não depender de INSS ou dos seus filhos.

Na prática, quanto maior o gasto médio anual, maior também o patrimônio necessário para independência financeira. Além disso, quanto maior o percentual recebido de renda passiva dos ativos da carteira, menor o montante necessário. Agora vamos falar 7 passos para alcançar a independência financeira

1 Realize o controle das finanças pessoais

O primeiro passo para alcançar a tão sonhada independência financeira é realizar o controle das suas finanças pessoais. Sem esse controle dificilmente você conseguira alcançar esse objetivo de longo prazo. É essencial que você tenha um controle de gastos em uma planilha, bloco de notas ou aplicativos de celular. Não saber quanto se gasta por mês implica em descontrole financeiro e te afasta das suas metas.

2 Crie metas financeiras

Depois de realizar o controle de gastos, o próximo passo é estabelecer metas financeiras claras, objetivas e reais. Se sua meta é chagar a 1 milhão investido coloque em ordem os passos que você precisa para chegar a esse número. Divida a meta em prazos, curto, médio e longo prazo assim fica mais fácil acompanhar o seu progresso.

3 Eleve seus ganhos financeiros

 Elevar seus ganhos financeiros vai te ajudar a alcançar seus objetivos de forma mais rápida. Quanto mais conhecimentos adquirimos, mais poderemos ganhar. Busque conhecimento, se especialize em algo, tenha uma segunda renda ou consiga um aumento de salário. Algumas das formas de conseguir elevar os ganhos financeiros são:

  • Criar uma fonte de renda extra;
  • Ganhar dinheiro na internet;
  • Desenvolver uma nova formação profissional;
  • Exercer mais de um trabalho ao mesmo tempo;
  • Trabalhar no tempo livre, em feriados em finais de semana;
  • Obter mais conhecimentos e experiências para ser promovido.

4 Mude hábitos

Hoje não precisamos nem sair de casa para sermos bombardeados de propagandas, basta um minuto no celular, na internet, assistindo televisão, ou até mesmo ouvindo rádio que nos deparamos com alguma propaganda instigando nosso consumo. Hábitos danosos para o bolso devem ser evitados ao máximo e substituídos por hábitos melhores de poupar o dinheiro e fazer gastos inteligentes. Agora que você tem em mente buscar a sua independência financeira é fundamental que você mude seus hábitos de consumo e não se deixe influenciar pelos seus impulsos.

5 Invista com constância

Criar o habito de investir pode ser difícil no início, porém os investimentos realizados com constância ao longo do tempo é o que vai fazer você alcançar a independência financeira. Mas pense sempre que não adianta organizar seus gastos, suas despesas e poupar dinheiro se for para deixar na poupança. Faça boa escolha nos investimentos e fuja de investimentos que prometem rentabilidade excessivas e rápidas, podem ser fraudes ou pirâmides financeiras e sua independência pode ficar comprometida com essas perdas.  

6 Diversifique seus investimentos

Tenha em mente que investir com constância não basta, é preciso diversificar para minimizar seus riscos. Diversificar significa ter classes de ativos diferentes (não pôr os ovos no mesmo cesto) renda fixa (DDB, LCI, LCA, Tesouro Direto, Debentures) Renda variável (ações, fundos imobiliários) fundos de investimentos e ETF são formas de diversificar seus investimentos.

7 Tenha ajuda de um assessor de investimentos

Ter um assessor de investimento te ajudando a escolher os melhores investimentos para o seu objetivo e seu perfil podem encurtar o tempo para alcançar sua independência financeira, isso porque um assessor de investimentos normalmente já ajudou outros investidores com esse mesmo objetivo e além disso acompanha e conhece de perto os investimentos, te deixando livre para pensar na sua atividade principal ou em formas de aumentar sua renda.

Outra vantagem em ter um assessor de investimentos te ajudando é que o assessor é imparcial e estará preocupado em encontrar o melhor investimento para o seu perfil e não de acordo com metas impostas. Assim como em toda profissão existem os bons e os maus profissionais então escolha bem o profissional que você quer ter por perto te ajudando nesse sonho de independência financeira.

Se nós não tomarmos as rédeas de nossa vida financeira e nos programarmos para a nossa independência, nossos filhos e netos terão de abrir mão dos seus próprios sonhos para auxiliar-nos em nosso sustento e tenho certeza que não é isso que você quer para eles e para você!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.