Geral

O que é mercado futuro e como funciona?

5 Minutos de leitura

Investir em ativos – como as ações – não é a única possibilidade na bolsa de valores. Há outras alternativas disponíveis, como os contratos com derivativos. Para aproveitar essas opções, é indispensável saber o que é o mercado futuro.

Nele, são realizadas operações que não têm liquidação imediata. Por isso, podem oferecer algumas particularidades interessantes para investidores e especuladores.

No entanto, é preciso ter conhecimento sobre o assunto para investir e até especular no mercado futuro, se for o caso. Então, que tal entender melhor esse ambiente?

A seguir, descubra tudo sobre como funciona o mercado futuro e entenda quais são as características mais marcantes dele!

Sumário:

  • O que é o mercado futuro?
  • O que são os contratos futuros?
  • Como o mercado futuro funciona?
  • Quais são os benefícios do mercado futuro?
  • Como operar no mercado futuro?

 

O que é o mercado futuro?

O mercado futuro envolve a negociação de contratos com valores específicos e previstos para uma data futura. Ou seja, em vez de haver a liquidação em breve (como ocorre no mercado à vista), o processo acontece na data de encerramento prevista no contrato.

Por esse motivo, não dizemos que são operados ativos no mercado futuro. Na verdade, existem os derivativos — que derivam de um determinado ativo, como o dólar, índices ou commodities. As negociações também acontecem na bolsa de valores.

A alternativa foi criada, inicialmente, para proteger os produtores rurais da variação dos preços entre o plantio e a colheita. Assim, era possível, antes da plantação, negociar vendas para uma data futura. O processo garantia previsibilidade sobre os ganhos.

No começo, inclusive, o mercado envolvia transações com produtos físicos, como as sacas de grãos. Contudo, atualmente ele funciona mais como uma opção de negociação financeira. Ou seja, a maioria dos contratos não envolve liquidação física.

 

O que são os contratos futuros?

Agora, você já viu o que é o mercado futuro. Mas, o que são os contratos futuros?

Os derivativos negociados nesse ambiente são chamados de contratos futuros. Basicamente, são acordos firmados entre duas partes quanto à compra e venda de um ativo em determinada data.

No passado, eles eram apenas de um tipo, mas uma evolução levou à criação de mais uma alternativa de contrato no mercado brasileiro. Veja quais são elas!

Contratos cheios

Os contratos cheios são as versões “originais” dos acordos do mercado futuro. Eles exigem a compra de um lote completo, o que demanda uma movimentação maior de recursos.

Minicontratos

Já os minicontratos futuros são versões menores dos contratos cheios. Assim, eles exigem uma movimentação financeira menor. Isso os torna mais acessíveis e permitem que mais investidores aproveitem as oportunidades do mercado futuro.

Como o mercado futuro funciona?

No mercado à vista da bolsa de valores, os investidores realizam operações que podem ser liquidadas em um tempo curto, pois a negociação é feita de forma imediata. Quem compra uma ação, por exemplo, abre uma ordem de compra, realiza o pagamento e recebe o ativo.

No mercado futuro, o processo funciona de outro modo – como o próprio nome sugere. As negociações feitas envolvem uma data diferente. Seu funcionamento se baseia na possível variação de preços ao longo do tempo — o que gera ganhos (ou perdas) para quem investe.

A seguir, entenda melhor como tudo funciona!

Sistema de ajustes diários

Uma das principais características do mercado futuro é que os ganhos ou as perdas são realizados diariamente, a partir dos ajustes diários sobre os preços dos derivativos que são negociados. Isso acontece com base no valor de negociação inicial, que serve como referência.

As alterações nos preços são, então, creditadas ou debitadas diariamente. Isto é, são adicionadas à (ou descontadas da) conta de quem investe. Ao final, o resultado do investimento no mercado futuro é a soma de todos os ganhos e de todas as perdas ocorridas no período.

Possibilidade de alavancagem

Uma das particularidades do mercado futuro é a alavancagem. Basicamente, ela acontece quando não é preciso fazer o pagamento no momento de aquisição do contrato futuro.

Em vez disso, só é necessário ter dinheiro disponível na conta para que ocorram as entradas e as saídas, referentes aos ajustes diários. No encerramento, também é assim que funciona. Com a liquidação final, você só terá que pagar a diferença apurada em todas as variações.

Na prática, alavancar significa uma forma de operar com mais dinheiro do que realmente tem disponível em caixa.  A estratégia é bastante utilizada para especular na bolsa e pode trazer chances maiores de lucro — mas também gera maiores riscos.

Apresentação de margem de garantia

Por causa da possibilidade de alavancagem, as operações no mercado futuro exigem algumas garantias em relação ao pagamento efetivo. Do contrário, haveria o risco de um especulador não poder custear sua operação.

A margem de garantia é o principal elemento nesse sentido e pode ser dada em dinheiro ou em ativos (como títulos de renda fixa ou ações). O valor corresponde a uma porcentagem do preço do contrato futuro.

Quais são os benefícios do mercado futuro?

Agora que você já sabe o que é mercado futuro, pode pensar em quais são as vantagens da alternativa. De modo geral, ele costuma ser visto como uma oportunidade para especular e aumentar a sua possibilidade de ganhos.

Além disso, ele também é utilizado como ferramenta de proteção (hedge) da carteira. Por exemplo, quando um investidor utiliza derivativos para diversificar o portfólio e aproveitar correlação negativa com outros investimentos — como em contratos de Dólar.

A proteção também pode ser realizada para aportes em ações. Como o contrato futuro envolve um acordo sobre o preço no momento da contratação, é possível se proteger contra uma flutuação muito grande, por exemplo.

Como operar no mercado futuro?

Para operar no mercado futuro é preciso, primeiramente, entender se essa opção se adéqua ao seu perfil de investidor. Lembre-se de que a negociação de derivativos é parte da renda variável e tem riscos elevados.

Também é muito importante aumentar o seu conhecimento sobre o assunto. A ideia é ter um entendimento mais completo sobre a modalidade de negociação para tomar decisões melhores e com maior potencial de alcançar seus objetivos.

Feito isso, a operação acontece de maneira simples — e semelhante ao mercado à vista, em termos de estrutura. Você deve ter uma conta em uma corretora de valores para ter acesso à bolsa de valores.mercado futuro

Depois, basta acessar o home broker e escolher o contrato ou minicontrato desejado. Eles são identificados por meio de um ticker correspondente, assim como acontece com as ações, ETFs, fundos imobiliários etc.

Como você viu, o mercado futuro pode ser uma escolha interessante tanto para especular quanto para realizar hedge de carteira. Com os conhecimentos necessários e alinhamento ao seu perfil, há como operar nessa possibilidade.

Conhece alguém que também terá interesse no tema? Compartilhe o post nas suas redes sociais!

Posts relacionados
Geral

Depósitos recorde em poupança: como sair dessa armadilha?

4 Minutos de leitura
No mês de setembro de 2020, os depósitos em poupança bateram recordes. Cerca de R$ 13,22 bilhões foram aplicados além do que…
Geral

Conheça o PIX e entenda o novo sistema de pagamentos instantâneos do Brasil

4 Minutos de leitura
Nos últimos tempos, você deve ter ouvido bastante sobre o sistema PIX. Anunciado no começo de 2020 e com implementação prevista para…
Geral

Como Um Adolescente Pode Ter Uma Carteira de Investimento

4 Minutos de leitura
Resumo da Live 29/10/2020 Neste artigo, resumimos a transmissão ao vivo do dia 29/10/2020 pelo canal no Youtube da Vai Investir. Em…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *