Investimentos

Investimentos

O que são e como funcionam os fundos cambiais?

Por

Muitos investidores têm o interesse de se expor a moedas internacionais para diversificar a carteira ou se proteger da instabilidade do real. Para tanto, pode ser interessante entender como funcionam os fundos cambiais disponíveis no Brasil.

Esses veículos permitem a exposição a diversas moedas. Isso porque existem alternativas de veículos com estratégias e objetivos variados. Dessa forma, entender como o fundo cambial funciona e quais são suas características é importante para conseguir tomar uma decisão de investimento adequada.

Quer entender melhor o funcionamento dos fundos cambiais? Então acompanhe esse artigo e conheça as principais características desse veículo, suas vantagens e desvantagens!

Como funcionam os fundos de investimento?

Antes de conhecer os fundos cambiais, você precisa saber como funcionam os fundos de investimento de modo geral. Esses veículos são alternativas coletivas, que reúnem o recurso de diversos investidores e alocam em uma carteira de ativos ou títulos.

Esse portfólio é administrado por um gestor profissional certificado pelo mercado financeiro para prestar esse serviço. Além disso, o fundo fornece documentos, como o prospecto e as lâminas, que demonstram suas características para o mercado.

Então os investidores têm acesso a informações sobre as estratégias de investimento, os objetivos propostos e a alocação da carteira. Se o investidor se interessar em participar do patrimônio do fundo e de seus resultados, ele pode comprar cotas.

Elas representam uma fração mínima do patrimônio do fundo e, portanto, variam de preço conforme as movimentações da carteira. Logo, é possível se expor aos ativos ou títulos de uma carteira com a compra de apenas uma cota de participação.

A ideia dos fundos é proporcionar uma forma de aporte que possa trazer diversificação e gestão profissional de maneira simplificada. No entanto, existem custos que podem não estar presentes em outras alternativas de investimentos.

Por exemplo, os fundos costumam cobrar uma taxa de administração. Ela consiste em um percentual anual, provisionado de forma proporcional diariamente. Essa taxa serve como a remuneração de toda a estrutura envolvida na manutenção do fundo.

Ainda, existem fundos de investimentos que cobram uma taxa de performance. Ela é aplicada somente quando os resultados do fundo ultrapassarem um benchmark previamente escolhido. Com isso, a taxa serve como um bônus ao gestor.

O que são fundos cambiais?

Como você percebeu, os fundos de investimento são alternativas que permitem a exposição a uma carteira de ativos. Nesse contexto, existem diversos tipos de fundos de investimento — que se dividem conforme as regras da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Os fundos de investimentos cambiais compõem a sua carteira com alternativas de investimento ou operações ligadas a moedas estrangeiras. Por isso, eles podem estar voltados a diferentes câmbios e países, conforme as estratégias de cada veículo.

Para acessá-los, é preciso contar com a intermediação de uma corretora de valores. Essas instituições oferecem ao investidor um portfólio com diversas alternativas de investimentos e fundos. Então basta verificar os fundos cambiais disponíveis na instituição e as regras de cada veículo.

Como eles funcionam?

Após entender o que são os fundos cambiais, é preciso saber como eles funcionam. Como vimos, esses veículos podem adotar regras diferentes, a depender das definições de cada administradora e gestor.

Contudo, existem características próprias dos fundos cambiais. A principal é que eles devem alocar a sua carteira majoritariamente com alternativas que acompanham moedas estrangeiras, trazendo uma exposição ao câmbio. Cada fundo determina como será a alocação de recursos.

Mas é preciso ter atenção: esse funcionamento não significa que os fundos de investimentos cambiais compram o papel moeda de outros países. Na verdade, eles se posicionam em ativos ou derivativos vinculados às moedas.

Entre os investimentos que compõem a carteira do fundo cambial, podem estar títulos de renda fixa lastreados em moedas estrangeiras ou ativos que têm oscilações de preços vinculadas ao câmbio, por exemplo.

Também pode haver o posicionamento em derivativos. Eles não são ativos propriamente ditos, mas sim operações referenciadas em ativos, como o dólar. Em geral, os derivativos são bastante utilizados para especulação ou para hedge financeiro (proteção).

Além das alternativas ligadas ao câmbio, uma parte do patrimônio do fundo, desde que de forma minoritária, pode ser alocada em outros investimentos. Normalmente, os gestores utilizam essa possibilidade para estabilizar a carteira e ter mais proteção contra eventuais movimentos negativos do mercado.

Quais as vantagens e desvantagens dos fundos cambiais?

Agora que você sabe como funcionam os fundos cambiais, é hora de considerar as suas vantagens e desvantagens. Um benefício importante desses veículos financeiros é a possibilidade de acessar uma carteira baseada em câmbio e com gestão profissional.

Como a cotação de moedas oscila constantemente e depende de fatores macroeconômicos e nacionais, fazer uma análise para alocar recursos pode ser bastante desafiador. Portanto, contar com um portfólio completo e administrado por um profissional traz mais praticidade ao investidor.

Se você decidir montar uma carteira própria, além da própria dificuldade relacionada à análise, esse procedimento demanda tempo. Por outro lado, com um fundo cambial, você precisa apenas analisar os diferentes veículos disponíveis e encontrar aquele que faz sentido para suas necessidades.

Além da acessibilidade em relação à gestão da carteira, o investimento em fundos cambiais pode trazer diversificação. Afinal, a compra de cotas de um fundo pode permitir a exposição a ativos e derivativos variados.

Contudo, também existem riscos nos fundos cambiais. Como investimentos de renda variável, esses veículos não possuem garantias de rentabilidade. Além disso, o mercado cambial é bastante volátil, o que traz oscilações constantes.

Ademais, os fundos cambiais cobram uma taxa de administração e, em alguns casos, de performance. Isso traz custos — que não seriam necessários nos investimentos diretos em outras alternativas do mercado financeiro.

Quando vale a pena investir nesses fundos?

Para saber se vale a pena investir em fundos cambiais é essencial considerar seus objetivos financeiros e seu perfil de investidor. As finalidades com esse investimento geralmente dizem respeito a compromissos em moedas estrangeiras ou proteção de carteira.

Ademais, considerar a sua resistência aos riscos deve ser uma prioridade. Investidores mais conservadores podem não se sentir confortáveis com as oscilações que o mercado de câmbio proporciona, por exemplo.

Entendeu o que são e como funcionam os fundos cambiais? Vale lembrar que cada veículo possui regras e objetivos diferentes, podendo se expor mais ou menos aos riscos do câmbio e a mercados internacionais. Por isso, não deixe de analisar as alternativas com atenção antes de investir!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos e aprenda mais sobre finanças e investimentos.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.