Análise & Opinião

Quanto tempo você tem?

7 Minutos de leitura
pocket watch gbe4929e9c 1280 Quanto tempo você tem?

A palavra tempo tem muitas acepções. Ao surgir no século 13, o termo nos foi legado com o conceito de duração relativa das coisas que cria no ser humano a ideia de presente, passado e futuro. Já na física, tempo é a dimensão que permite identificar dois eventos que, caso contrário, seriam idênticos e que ocorrem no mesmo ponto do espaço. Na música, é uma unidade abstrata a partir da qual se estabelecem as relações rítmicas, a pulsação. Chronos, deus do tempo, era a personificação do tempo eterno e imortal.

Se aliarmos ao tempo o termo dinheiro é possível identificar características comuns: ambos são recursos finito, escasso e não renovável. Quando alçamos o tema para o mercado financeiro, costuma-se transformar quase tudo o que ouvimos em números, dados, prazos, estratégias. O tempo, nesse aspecto, adquire forma numérica e cronológica, quando, na verdade, o termo tempo é singular, pois falamos de vida.

Neste artigo, vamos refletir sobre as diversas dimensões do tempo e sua relação com a vida humana, crenças, valores, família, aposentadoria, dinheiro e planejamento financeiro.

Como você utiliza o seu tempo?
A diferença entre importante e urgente
O tempo da vida, da natureza
Crenças e valores mudam com o tempo
Pais e filhos
Trânsito
Fast family
Trabalho, aposentadoria, envelhecer bem
O que pensamos ao longo de um dia?
O tempo como grande aliado

giphy Quanto tempo você tem?

Como você utiliza o seu tempo?

O conhecimento acumulado, a ciência e a tecnologia fizeram avançar a sociedade: doenças foram erradicadas, saneamento, a pandemia está sendo vencida, os transportes encurtaram distâncias, a comunicação é global. Por outro lado, não se inventou ainda uma maneira de reproduzir o tempo.

Segundo Eduardo Gianetti, no livro O Valor do Amanhã,

ao contrário do espaço, que permite ir e voltar, a dimensão tempo se impõe como um fluxo sem retorno. O agora é um instante que, ao ser nomeado, já não é. Ele não para nem volta, simplesmente segue a diante.

Muitas vezes, amigos, pessoas próximas ou até clientes estão munidos de contas, imposto de renda, querem nos mostrar o patrimônio/investimentos que possuem e como gastam o dinheiro. Isso é importante, mas é necessário dar um passo atrás: como você gasta o seu tempo?

Qual sua idade, onde trabalha, onde mora, seu estado civil, hobbies, o que gosta de fazer no tempo livre, tem filhos, como é o dia a dia, como é sua relação com a família e amigos? O que é importante para você? O que é urgente? Perceba que todas essas perguntas revelam uma coisa: tempo.

Como você lida com o seu? Como esse recurso é tratado?

A diferença entre importante e urgente

Qual a diferença entre o que é importante e o que é urgente? Você saberia explicar? Veja se faz sentido.

Urgente é tudo aquilo que gera punição ou prejuízo caso não seja realizado no prazo previsto; importante é tudo aquilo que ajuda a alcançar objetivos, mesmo que não tenham prazos determinados.

Algumas tarefas urgentes podem também ser importantes. Aqui, vale frisar que muitas pessoas ficam presas no acúmulo das urgências e deixam as coisas importantes no plano dos sonhos. Ao saber a diferença, torna-se claro como esse recurso tem sido usado ao longo de suas experiências.

A conversa fica mais rica, conseguimos entender o que um determinado cliente, familiar ou amigo quer para a sua vida, o que espera de nós e do tempo que estaremos trabalhando para ajudá-lo na construção de um planejamento não só financeiro, mas de um planejamento de vida.

As experiências passadas construíram a pessoa que está sentada à sua frente, no presente, e que pede a sua ajuda para planejar o futuro.

O tempo da vida, da natureza

giphy Quanto tempo você tem?

Um termo muito utilizado na economia é a escassez. Ou seja, a escassez aborda os desejos humanos infinitos em um mundo de recursos limitados. Se não pudermos gerenciar o tempo, não poderemos gerenciar muita coisa.

Nesse sentido, a ideia de escassez nos permite inferir que a sociedade tem meios de produção e recursos insuficientes para atender aos desejos e necessidades de todos os seres humanos e, em se tratando de tempo, parece bastante verdadeiro.

Uma pergunta se impõe: como obter ou produzir tempo?

Para um bem ser considerado escasso, é preciso que ele seja difícil de se obter, de se produzir, ou ambos. O tempo se enquadra em ambos os aspectos. O dia tem 24 horas. É preciso elencar prioridades, fazer escolhas em detrimento de outras, seja o tempo social, tempo escolar, profissional, lazer, não importa. Isso significa que estamos falando do tempo de vida, o tempo natural, da natureza que, sem dúvida, é finito.

Crenças e valores mudam com o tempo

Sonhos, medos, saúde, morte, motivações, objetivos, crenças, experiências, tempo e valores. Esses temas trazem, normalmente, desconforto. Antes de falar de dinheiro, juros ou planilhas, é preciso identificar o que motiva o indivíduo a utilizar seus recursos da maneira que utiliza.

Crenças e valores mudam de acordo com os ciclos da vida (idade), sofrem influência social e podem se alterar a partir de aprendizados e de experiências passadas, até mesmo a partir da experiência do outro.

Quanto de nosso tempo e outros recursos, inclusive os financeiros, são gastos com coisas cheias de significado?

Pais e filhos

O gerenciamento do tempo de uma criança não é fácil de se lidar, pois envolve o tempo dos pais, de quem cuida, da escola, do sono. Tempo de ser criança, de brincar, é algo sério. A ligação entre o lúdico e o cognitivo é extremamente importante para o desenvolvimento de um futuro adulto feliz.

Quantas coisas eu sou? Muitas vezes não nos damos conta das tarefas que realizamos: as tarefas de motorista, contribuinte, hóspede, mãe, pai… Será que há tempo para interpretar tantos papéis?

Assim, é possível refletir no tempo em que nos dedicamos aos papéis que realmente nos trazem felicidade. Quanto tempo é gasto em atividades burocráticas, em discussões inúteis? Em filas? Quanto tempo é gasto no trânsito?

Trânsito

Uma pesquisa recente mostrou que o paulistano gasta em média 2h46 no trânsito todos os dias se utiliza meio de transporte próprio, e 2h53 se em transporte público. E você?

O dado por si só já é incômodo e fica ainda mais se anualizado e transformado em dias! São 29,1 dias da vida por ano preso no trânsito. Grosseiramente, podemos imaginar que gastamos um mês que poderia ser de férias (quem sabe), apertados dentro de um ônibus barulhento.

Fast family

Atualmente, ao que tudo indica houve um trade-off entre tempo e dinheiro. O advento do capitalismo e a introdução da mulher no mercado de trabalho trouxe consigo algumas mudanças genuínas no tempo social, entre elas o tempo da convivência familiar e da alimentação.

giphy Quanto tempo você tem?

Com o passar dos anos e em muitas sociedades, a família tem recebido menos tempo. Isso quer dizer menos tempo com os filhos, pais, brincar, educar, conversar, fortalecimento dos laços, abraçar, o tempo do almoço em família e da reunião ao redor da mesa.

Assim, quanto do tempo é gasto com o que é valioso para você? Com o que é considerado sagrado? Com amigos? Em atividades prazerosas? Quanto tempo com qualidade e atenção é dispensado à família? Para muitos, a família é um bem de valor inestimável.

Quando se fala em alimentação, uma pesquisa do IBGE mostrou que, entre 2015 a 2020, aumentou a proporção de comidas industrializadas, como pães (de 5,7% para 6,4%), embutidos (de 1,78% para 2,2%), biscoitos (de 3,1% para 3,4%), refrigerantes (de 1,5% para 1,8%) e refeições prontas (de 3,3% para 4,6%). O arroz e feijão, por exemplo, foi substituído por alimentos de preparo mais rápido aliados às refeições cotidianas fora de casa.

A partir disso, é possível fazer uma observação: o fast family, em que o tempo em vigília com a família é restrito e em sua grande maioria pobre, é, para muitos, mais um turno na jornada diária.

Trabalho, aposentadoria, envelhecer bem

Pensando no envelhecimento, vale a pena colocar na lista de assuntos urgentes a necessidade de um planejamento financeiro para o longo prazo, pois a longevidade/expectativa de vida tem aumentado.

Colocar um assunto como a previdência privada como investimento de longo prazo pode significar que o dinheiro que mantém seu padrão de vida atual pode acabar antes do planejado e a vida se tornar complicada.

Nesse sentido, fazer uma reserva financeira representa, no presente, a liberdade na escolha de como gastar o tempo, seja iniciando uma nova carreira, uma viagem, cuidados com a saúde, solidez em tempos de insegurança econômica e, no futuro, fará a diferença entre uma velhice digna, prazerosa, ou uma velhice com dificuldades e dependente de terceiros. Sob esse prisma, há um ponto para ser mencionado: o aumento da expectativa de vida e queda da fecundidade.

Se observarmos as pirâmides demográfica ao longo dos anos, veremos não só um número menor de nascimentos e de jovens, mas também um número maior de idosos que possivelmente não estarão mais em atividades remuneradas e dependerão dos recursos que acumularam (ou não) ao longo da vida, o que está bastante relacionado ao seu comportamento financeiro ao logo de sua idade produtiva.

Se você ainda não tem, fazer uma previdência é urgente!

O que pensamos ao longo de um dia?

Alguns estudos em finanças comportamentais têm mostrado quais são os principais desejos das pessoas ao longo de um dia comum (das 7h às 23h). Apresentados na imagem abaixo, esses desejos foram mapeados.

desejos Quanto tempo você tem?

Fonte: Nunes, B. Fonseca. Autocontrole e vida financeira: descobertas recentes.

O tempo foi dividido em horas. A pesquisa teve como foco observar atitudes como o autocontrole/autoconhecimento mediante um grande leque de oportunidades de consumo, a impaciência e a procrastinação.

Na imagem, percebe-se uma grande parte do dia dispensada com o procrastinar, ou seja, empurrar com a barriga. Isso é um dado importante. A pesquisa foi realizada com 1779 indivíduos. Na ótica de alguns, esse tempo pode ser considerado um desperdício, para outras pessoas, um tempo absolutamente necessário.

O tempo como grande aliado

Desempenhamos muitos papeis ao longo de nosso tempo em vida. Muitas vezes, quando se tem consciência do valor irrecuperável do tempo, desejamos legar, crenças e valores, principalmente àquelas pessoas que são mais próximas. Há muitos outros tipos de tempos, tais como: o tempo de se apaixonar, cuidar, amar, recomeçar e o tempo de partir. A música Tempo Rei de Gilberto Gil traz alguma pista a respeito:

Não me iludo
Tudo permanecerá
Do jeito que tem sido
Transcorrendo
Transformando
Tempo e espaço navegando
Todos os sentidos

Para finalizar, o professor e pesquisador da PUC-SP, Ladislaw Dowbor, trouxe uma definição interessante sobre o tempo:

O tempo é o nosso principal recurso não renovável. O seu desperdício por nós mesmos ou por terceiros é monumental. Todos sabemos que time is money, mas poucos pensam no que estão comparando. O tempo é o tempo da nossa vida. Ao confundirmos os meios e os fins, confundimos o uso do nosso tempo com uma felicidade sempre adiada.

A ideia de tempo não se esgota aqui. Vai muito além.

113 posts

Sobre o autor
Thiago Goulart é o Editor da Vai Investir e do podcast Valor de Mercado. Adora praticar tênis, ler, escutar música e estar na presença de amigos e família. Graduado em Letras pela UFES e em Jornalismo pela PUC-SP, está se tornando também especialista em finanças com o MBA no tema pela PUC- RS. Com uma longa carreira em sala de aula, desenvolveu a habilidade e sensibilidade para conectar pessoas a conhecimentos. Hoje, aplica essa experiência de maneira mais específica para o mercado financeiro, por quase 3 anos sendo o principal responsável pelo desenvolvimento e curadoria de conteúdo para a Valor Investimentos e Vai Investir.
Artigos
Posts relacionados
Análise & Opinião

Atenção: Black Friday à vista. Cuidado para não entrar numa cilada financeira!

3 Minutos de leitura
Análise & Opinião

As melhores formas de utilizar o 13º salário

2 Minutos de leitura
Análise & Opinião

Combustível caro: de quem é a culpa?

3 Minutos de leitura
×
Aprenda a Investir

Praticar tênis é uma aula de investimento