Análise e Opinião

Análise e Opinião

O papel da sorte nos investimentos

Por
Ester Valentim

É natural subestimarmos o papel da sorte nos investimentos, mas ela existe. No entanto, até que ponto ela pode impactar na sua carteira?

 

As pessoas facilmente atribuem o sucesso à habilidade e ao trabalho árduo e o fracasso à preguiça, mas se habilidade é tudo o que é preciso para ter sucesso, por que há tantas pessoas brilhantes e habilidosas que não são ricas?

 

Este é um tema pouco controverso no mercado financeiro, mas talvez seja importante reconhecer que sorte e risco são irmãos.

 

Quer uma prova disso? Então não deixe de ler essa história sobre como Bill Gates ficou rico.

 

A chance de 1 em 1 milhão

Mais do que inteligente, Gates é acima de tudo dedicado. Ainda na adolescência percebeu que os computadores miravam o futuro. Esse foi um insight fora da curva para a maioria dos jovens naquela época.

 

Mas ele também teve uma vantagem de 1 em 1 milhão ao estudar em Lakeside, uma das únicas escolas de ensino médio do mundo que tinha um computador em 2005.

 

Bill e Paul Allen, seu colega de turma e, posteriormente, sócio na Microsoft, brincavam com o computador à vontade depois das aulas, tarde da noite, nos fins de semana. Em pouco tempo, os dois se tornaram especialistas em computação.

 

Aos formandos da escola, Gates não teve constrangimento em falar sobre o significado disso: “Se não fosse a Lakeside School, não haveria Microsoft”.

 

Agora, você já ouviu falar de Kent Evans?

 

Evans era o terceiro integrante da gangue de prodígios da informática formada por Bill Gates e Paul Allen.

 

Segundo Gates, Evans era o melhor aluno da turma e tão hábil com computadores quanto os dois futuros sócios. Os três se tornaram melhores amigos no último ano do ensino fundamental.

 

Ao relembrar a amizade com Kent, Gates ficou com a voz embargada. “A gente podia ter continuado a trabalhar junto. Tenho certeza de que teríamos ido para a mesma faculdade.”

 

Tão ambicioso e talentoso quanto Gates e Allen, Kent poderia ter sido um dos fundadores da Microsoft com os amigos. Contudo, isso nunca aconteceu.

 

Infelizmente, Kent morreu antes mesmo de terminar o ensino médio, em um acidente quando praticava montanhismo.

 

Todo ano, ocorrem cerca de 30 mortes devido à prática de montanhismo nos Estados Unidos.

 

A probabilidade de perder a vida em uma montanha durante o ensino médio é de aproximadamente 1 em 1 milhão.

 

Bill Gates experimentou uma sorte em um milhão ao se matricular na Lakeside School.

 

Kent Evans experimentou um risco em um milhão ao nunca conseguir terminar o que ele e Gates planejavam alcançar.

 

Muitas vezes, assumimos que 100% de qualquer resultado favorável deve ser atribuído ao esforço e à tomada de decisões. O que nem sempre é verdade.

 

Sorte e risco são a expressão concreta de que todo resultado na vida é guiado por outras forças além do mero esforço individual.

 

A grande lição

Seja honesto sobre o papel que a sorte e o risco desempenha em sua vida e aceite o fato de que você não pode controlar tudo.

 

Nos investimentos e negócios, diversificação é obrigatório para quem quer reduzir riscos de aumentar a rentabilidade da carteira.

 

E ai? Já sabia dessa história?

Essa e outras histórias exclusivas são enviadas aos nossos assinantes todos os domingos às 8:30. Além disso, todos os dias, às 6:30, te mantemos atualizado sobre as as principais notícias do mercado. Quer começar a receber esses conteúdos? Inscreva-se na nossa newsletter.

Se você conhece alguém que pode se beneficiar desse conhecimento, envie o link deste conteúdo para a pessoa.

Até a próxima!

 

*Esta história também pode ser encontrada no Livro “A psicologia financeira: lições atemporais sobre fortuna, ganância e felicidade”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.