ColunistasInternacional

Política monetária norte-americana FED: quais os impactos aos investidores brasileiros?

4 Minutos de leitura
Politica monetaria norte americana FED quais os impactos aos investidores brasileiros Política monetária norte-americana FED: quais os impactos aos investidores brasileiros?

Quem investe precisa se atentar a diversos fatores econômicos para basear suas decisões de modo mais informado. Isso porque existem inúmeras alterações relacionadas à economia mundial que podem impactar nos seus investimentos – dentre elas a política monetária do FED.

Você sabe o que é o FED — Federal Reserve System? Ele é o órgão governamental norte-americano responsável por supervisionar o sistema bancário nos Estados Unidos. Assim, sua atuação é equivalente do Banco Central (BACEN) no Brasil.

Quer conhecer melhor esse assunto? Descubra neste artigo um pouco mais sobre o FED, saiba o que é uma política econômica e sua importância e como o sistema norte-americano impacta no Brasil!

O que é o FED?

FED é a sigla para Federal Reserve. O surgimento dele data o final do ano de 1913, após o congresso norte-americano se convencer que era preciso de um banco central para garantir a saúde do sistema bancário dos Estados Unidos.

Assim, essa instituição governamental ficou responsável por:

  • definir a política monetária nacional;
  • manter a estabilidade do sistema financeiro;
  • supervisionar as instituições financeiras;
  • garantir a segurança e eficiência do sistema de pagamentos;
  • fornecer a proteção do consumidor e o desenvolvimento da comunidade.

O que é política monetária?

A política monetária é o termo para descrever a atuação das autoridades monetárias. Elas decidem, por exemplo, sobre a quantidade de papel-moeda em circulação, o montante de crédito fornecido e as taxas de juros vigentes em um país.

Ou seja, é uma forma de controlar a economia de uma nação. A política monetária pode ser divida em duas principais modalidades, a saber: a expansiva e a contracionista.

Saiba mais:

  • expansiva: aumenta-se a oferta da moeda, o que faz com que os juros caiam, o crédito fique mais acessível e o consumo aumente – geralmente é usada em tempos de crise;
  • contracionista: a oferta da moeda é reduzida, fato que resulta no aumento dos juros, menor acesso ao crédito e queda no consumo – normalmente usa-se para controlar a inflação.

Qual a importância da política monetária para um país?

Como você pode ver, os conceitos vistos até aqui são muito relevantes para um país. A política monetária, de modo geral, afeta a todas as pessoas, sejam elas físicas ou jurídicas — em maior ou menor grau.

Por meio da política monetária, um país consegue, por exemplo, contornar os efeitos negativos de uma crise econômica. Atrelado a isso estão muitas outras questões relevantes. Por exemplo, a geração de empregos, o aumento das riquezas, o consumo, a confiança dos investidores etc.

O desenvolvimento de uma boa política monetária também é capaz de resolver problemas econômicos consolidados ou evitar possíveis distorções econômicas. Ou seja, a política monetária exerce um papel fundamental para garantir o bom funcionamento da economia de um país.

Como a política monetária nos Estados Unidos impacta no Brasil?

Ao conhecer o FED, você pode se perguntar como a política monetária estabelecida por ele pode influenciar no Brasil. A resposta é simples: as decisões do FED afetam a maior economia mundial (dos Estados Unidos).

Logo, isso pode reverberar em todas as outras economias – inclusive na brasileira. Para contextualizar de forma simples, confira algumas das decisões do FED a respeito da política monetária dos Estados Unidos e suas consequências no Brasil:

Definição da taxa de juros

Como visto anteriormente, uma das atribuições do FED é definir a política monetária dos Estados Unidos. Para isso, precisa determinar a taxa de juros vigente no país. Ela, por sua vez, é uma das responsáveis por acelerar ou desacelerar a economia.

Quando os juros são reduzidos, o crédito fica mais acessível, o consumo e o volume de dinheiro em circulação aumentam. Em contrapartida, os investimentos de renda fixa podem ter suas rentabilidades afetadas – uma vez que muitos deles estão atrelados às taxas de juros.

Em um cenário em que a renda fixa não se revele atraente, o investidor norte-americano pode ir à procura de investimentos mais rentáveis – geralmente mais arriscados. Nos Estados Unidos, quando isso ocorre, muitos investidores buscam investimentos nos países emergentes, como o Brasil.

Nesse período, a bolsa brasileira pode receber bastante capital estrangeiro — o que resulta em um maior volume de negociações, maior liquidez e a valorização dos papéis brasileiros. Desse modo, o investidor brasileiro é beneficiado.

Por outro lado, quando o FED eleva a taxa de juros, a tendência é que os investidores voltem a investir nos Estados Unidos. Isso em razão de ser uma economia mais segura e rentável. Assim, muitos vendem os papéis adquiridos nos mercados internacionais e compram títulos americanos.

Diante disso, o risco-Brasil aumenta, e pode não compensar manter os investimentos aqui. Por consequência, o volume de negociações no mercado brasileiro sofre reduções significativas, e isso impacta em todo o tipo de investimentos país, principalmente os de renda variável.

Compra e venda de títulos (Treasuries)

Outro meio que o FED se vale para estabilizar a economia norte-americana se dá através da compra e venda de títulos públicos – os chamados treasuries. Essa estratégia objetiva impulsionar o consumo e controlar a inflação, interferindo na quantidade de papel-moeda em circulação.

Ao comprar yreasuries, o FED incorpora os títulos em seu balanço patrimonial. Isto é, ele retira o ativo de circulação e injeta dinheiro no mercado. No caso da venda de treasuries ocorre o oposto, o dinheiro sai do mercado e os títulos entram em circulação.

Ambas as operações afetam o preço do dólar, já que sua formação também depende de oferta e demanda. Por isso, a decisão impacta os países emergentes, que muitas vezes têm sua dívida externa atrelada ao dólar.

Esse fato pode impactar toda a cadeia econômica, desde as empresas, bancos, investimentos e investidores brasileiros. Além disso, como você viu, o risco-Brasil aumenta, afastando o investidor estrangeiro. Assim mais dinheiro é retirado do país, o que gera mais efeitos negativos para a economia.

Conclusão

Como visto, a política monetária adotada pelo FED é de extrema importância para países emergentes – dentre eles, o Brasil. Seja por meio da fixação dos juros ou interferindo na circulação da moeda, as práticas do FED impactam nos investimentos do mundo inteiro.

Portanto esteja sempre atento às notícias relacionadas a esse órgão e para avaliar sua estratégia de investimentos aqui ou no exterior. Caso não consiga fazer esse acompanhamento, não hesite em buscar auxílio profissional. Cuide bem de seus investimentos!

Agora que você já conhece o FED, que tal conhecer o BACEN e suas funções?

85 posts

Sobre o autor
Thiago Goulart é o Editor da Vai Investir e do podcast Valor de Mercado. Adora praticar tênis, ler, escutar música e estar na presença de amigos e família. Graduado em Letras pela UFES e em Jornalismo pela PUC-SP, está se tornando também especialista em finanças com o MBA no tema pela PUC- RS. Com uma longa carreira em sala de aula, desenvolveu a habilidade e sensibilidade para conectar pessoas a conhecimentos. Hoje, aplica essa experiência de maneira mais específica para o mercado financeiro, por quase 3 anos sendo o principal responsável pelo desenvolvimento e curadoria de conteúdo para a Valor Investimentos e Vai Investir.
Artigos
Posts relacionados
Colunistas

Renda passiva: 7 passos para alcançar a sua independência financeira

5 Minutos de leitura
No mês em que é comemorada a Independência do Brasil, este artigo traz para você uma outra conquista importante perseguida por muitos:…
ColunistasEducação Financeira

Proteger a vida e perpetuar o patrimônio

5 Minutos de leitura
“No meio do caminho tinha uma pedra”. Todos conhecem o célebre verso de Carlos Drummond de Andrade. As interpretações são variadas, mas…
Análise & OpiniãoColunistas

Factfulness e a quarta revolução

4 Minutos de leitura
A quarta revolução tecnológica está em pleno curso. Mas para falar dela é preciso, antes, fazer uma breve reflexão. Revendo alguns fatos…