Poupança

Depósitos recorde em poupança: como sair dessa armadilha?

4 Minutos de leitura

No mês de setembro de 2020, os depósitos em poupança bateram recordes. Cerca de R$ 13,22 bilhões foram aplicados além do que foi retirado, segundo dados da Agência Brasil. Por mais expressiva que seja, a informação não surpreende. Afinal, a poupança é o investimento de maior popularidade do país.

O surpreendente, por outro lado, é o fato de muitas pessoas não saberem que existem alternativas no mercado. Muitas vezes, é possível encontrar aplicações tão seguras e mais rentáveis que a poupança.

Você sabia que deixar o dinheiro na caderneta pode resultar em perda financeira? Veja por que isso acontece e descubra como sair dessa armadilha!

O que é a poupança?

A caderneta de poupança está presente na vida dos brasileiros desde 1861. É um produto oferecido por instituições financeiras, como os bancos. Em um primeiro momento, ela pode parecer uma boa ideia — especialmente por ser prática.

Contudo, existem pontos negativos. Um dos principais diz respeito à rentabilidade. Para depósitos feitos a partir de 2012, as regras de rendimento da poupança são as seguintes:

  • se a taxa Selic estiver acima de 8,5%, o rendimento é de 0,5% ao mês + Taxa Referencial (TR);
  • se a Selic estiver igual ou menor que 8,5%, o rendimento da poupança corresponde a 70% da Selic + TR.

Nos últimos anos, a taxa Selic vem sendo cortada gradativamente e está nos menores patamares da história. Então, a poupança tem apresentado a segunda regra de rendimento — o que não é muito atrativo.

Em alguns cenários, o dinheiro investido na caderneta rende menos do que a taxa de inflação. Assim, o investidor estaria, na verdade, perdendo poder de compra ao longo do tempo. Além disso, o rendimento é creditado apenas a cada mês de aniversário do investimento.

É importante, ainda, ter em mente que a TR está zerada desde 2017. Assim, ela não representa nenhum ganho na rentabilidade. No final, os resultados do investidor podem ficar bem abaixo de outras opções do mercado financeiro.

Como sair da armadilha da poupança?

Pela praticidade e popularidade da caderneta, diversas pessoas acreditam que ela é a única (ou a melhor) forma de guardar seu dinheiro. Contudo, isso não é verdade! Existem alternativas variadas no mercado financeiro.

Elas estão tanto na renda fixa quanto na renda variável. Assim, é possível encontrar oportunidades com menor ou maior risco, a depender das suas preferências. Para escolher as mais adequadas ao seu caso, é importante considerar alguns fatores.

Por exemplo, o seu perfil de investidor – principalmente em relação ao risco que está disposto a correr. Também é válido pensar nos seus objetivos e no prazo deles (que pode ser curto, médio ou longo, por exemplo).

A existência ou não de um fundo de emergência é mais um fator a considerar. O ideal é optar por investimentos de prazo mais longo ou de risco maior apenas quando já se tem uma reserva em um local seguro e de fácil acesso. Afinal, esse montante deve estar disponível em todos os momentos de necessidade.

Quais são as alternativas para os depósitos em poupança?

Como você viu, o mercado financeiro apresenta desde alternativas mais seguras até as mais arriscadas — como as Ações na bolsa de valores. Para apresentar as principais opções à poupança, vamos considerar um investidor que busca pela mesma segurança.

Afinal, a redução dos riscos é um dos principais motivos que justificam a popularidade da caderneta. A seguir, confira alternativas que protegem seu patrimônio tanto quanto os depósitos em poupança e podem ter rendimento maior!

Tesouro Selic

O Tesouro Selic é uma das aplicações mais seguras da renda fixa. Ele é um título oferecido pelo Governo Federal no programa Tesouro Direto. Seu rendimento está diretamente atrelado ao valor da Selic — rende 100% da taxa definida pelo COPOM (o Comitê de Política Monetária do Banco Central).

É possível aplicar a partir de valores baixos (próximos de R$ 100,00, por exemplo). Além disso, a alternativa conta com liquidez diária. Ou seja, permite que você retire o dinheiro quando desejar, realizando o resgate em dias úteis.

A segurança e a simplicidade do Tesouro Selic fazem com que ele seja visto como um bom substituto para a poupança. Apesar de cobrar Imposto de Renda sobre os rendimentos, os ganhos dele ainda ficam maiores do que os da caderneta.

CDB

O CDB é outra aplicação conhecida entre os que investem em renda fixa. A sigla significa Certificado de Depósito Bancário e funcionam como um empréstimo feito a bancos. Assim, há o pagamento de juros pela transação.

As instituições bancárias emitem títulos de CDB para captar recursos. Então, eles são usados para as atividades — por exemplo, empréstimos e financiamentos.

Assim como no caso do Tesouro Selic, é possível encontrar CDBs com liquidez diária. Dessa forma, será viável ter acesso ao dinheiro em qualquer momento, mesmo antes da data de vencimento da aplicação.

É comum que a rentabilidade do título esteja relacionada ao CDI — um índice cujo valor fica próximo ao da Selic. Você poderá encontrar títulos que pagam, por exemplo, 100% ou um percentual maior do CDI ao pesquisar. Contudo, quanto maior liquidez, menor tente a ser o rendimento.

Em relação à segurança, além da estabilidade da renda fixa, o CDB apresenta uma garantia a mais. Ele é coberto pelo Fundo Garantidor de Crédito. O FGC devolve o dinheiro do investidor em caso de falência do banco (dentro de limites estabelecidos).

Fundos DI

Por fim, há opções de Fundos de Investimentos como alternativa à poupança. Os Fundos de Renda Fixa Referenciados DI, também chamados de Fundos DI, apresentam um gestor profissional decidindo a montagem da carteira.

Fundos desse tipo têm a maior parte do portfólio investido em títulos privados de baixo risco e títulos públicos do Tesouro Direto. Assim, eles também apresentam segurança e alta liquidez, podendo ser usado como substituto da poupança.

Conclusão

Você acabou de conferir algumas alternativas de investimentos seguras. Antes de escolher a opção que melhor atende o seu caso, é importante avaliar informações de rentabilidade, risco e liquidez de cada uma.

Assim, fica mais simples sair da armadilha dos depósitos em poupança e investir em aplicações estáveis e com maior rendimento. Lembre-se de que, caso o seu perfil seja mais tolerante a riscos, também há opções para diversificar seu portfólio na Bolsa de Valores!

Você ainda tem dúvidas sobre o assunto ou deseja conhecer melhor os investimentos? Entre em contato com a Valor Educação!

Posts relacionados
Poupança

Investimento melhor que poupança? Conheça cinco opções!

5 Minutos de leitura
Acessível, segura e livre de impostos: essas são as características que fazem da poupança um dos investimentos preferidos dos brasileiros. Apesar dessas…
Poupança

Rendimento da poupança: você sabe como calcular?

5 Minutos de leitura
Há anos a poupança é a aplicação mais conhecida e utilizada entre os brasileiros. Mesmo com o aumento do número de investidores…
Poupança

Saiba mais sobre a história da Poupança

2 Minutos de leitura
Devido à sua elevada popularidade, a Caderneta de Poupança, produto financeiro criado ainda no império, por D. Pedro II, tomou para si…